Jovens estão migrando da TV para computadores e celulares

Jovens estão migrando da TV para computadores e celulares

Atualizado: Terça-feira, 14 Fevereiro de 2012 as 8:47

A TV é o passatempo número um dos EUA, com média de consumo diário de quatro horas e 39 minutos por pessoa. No entanto, mais e mais jovens estão de olho em outras telas. Americanos de 12 a 34 anos estão gastando menos tempo em frente à TV, enquanto os maiores de 35 anos estão assistindo TV por mais tempo, segundo pesquisa da Nielsen.

As diferenças etárias revelam o efeito de vídeos e jogos online, redes sociais e celulares – alternativas à TV que estão tomando parte da atenção do público. Jovens ainda assistem aos mesmos programas, mas muitas vezes pelo computador ou pelo celular – o que não é feito por seus pais ou avós.

Esta mudança já era prevista há um tempo, mas esta é primeira evidência significativa em uma pesquisa. Se a tendência se mantiver, as implicações a longo prazo para a indústria da mídia são imensas, causando possivelmente a migração de bilhões de dólares gastos em publicidade.

Segundo Gary Carr, vice-presidente da TargetCast TCM, que compra tempo de anúncios para empresas, o cenário atual não é motivo para pânico, mas merece ser observado de maneira cuidadosa. “Jovens são sempre o primeiro grupo a estar experimentando ações novas”, diz ele. A indústria televisiva está esperando que a audiência chegue a um pico e então se estabilize ou caia devagar diante do crescente uso de celulares e da internet.

De acordo com os dados da Nielsen, a audiência da TV como um todo está estável, em parte porque os americanos mais velhos – em especial os com mais de 65 anos – estão assistindo à TV por mais tempo. Os gravadores digitais contribuíram para isso, pois permitem que as pessoas gravem e assistam aos programas mais tarde. Na faixa etária dos menores de 35 anos, entretanto, por três trimestres seguidos houve declínio na audiência.

De acordo com Patricia McDonough, vice-presidente da Nielsen, a empresa está observando o comportamento dos jovens atentamente e reconhece que houve uma pequena queda na audiência jovem. Ela observou, entretanto, que houve flutuações no passado, e que, em 2010, a audiência foi muito alta – talvez reflexo da situação econômica ruim, o que leva as pessoas a ficarem mais em casa. A temporada menor da Liga Nacional de Futebol Americano em 2011 também pode ter influenciado nas comparações com o ano anterior.

Nielsen também não conta como programas de TV aqueles exibidos no iPad. O Super Bowl foi exibido ao vivo, pela primeira vez, na TV e na plataforma online, mas os anúncios foram vendidos separadamente e a audiência foi medida também de maneira separada. Cerca de 2,1 milhões de usuários únicos assistiram online a algum momento do jogo, enquanto 111,3 milhões o assistiram pela TV. A partida foi a mais assistida na internet e também na TV. Informações de Brian Stelter (New York Times]

veja também