Jovens são inadimplentes com cheques

Jovens são inadimplentes com cheques

Atualizado: Sexta-feira, 7 Outubro de 2011 as 11:48

Entre as diversas faixas etárias, uma pesquisa realizada pela TeleCheque mostrou que os mais jovens foram os que lideraram a inadimplência com cheques no País durante o primeiro semestre deste ano.

De acordo com o estudo, feito com mais de 13 mil clientes da empresa, os consumidores com até 20 anos tiveram um índice de inadimplência de 16,92%, volume superior aos 15,90% registrados no mesmo período de 2010. Entre os consumidores com 21 a 30 anos, a inadimplência foi de 6,33%, superior aos 6,12% do primeiro semestre de 2010.

Menor inadimplência entre os mais velhos

Conforme a idade vai avançando, o índice de inadimplência vai ficando menor. Assim, entre os que possuem de 31 a 40 anos, o índice é de 4,29%, contra 4,28% no ano passado, e dos que estão com 41 a 50 anos, a inadimplência atinge 2,61% deles, frente aos 2,51% em 2010.

Entre os consumidores com mais de 50 anos, a inadimplência registrada no primeiro semestre deste ano foi bem pequena. Dos que estão entre 51 a 60 anos, a inadimplência foi de 1,75%, e entre os que possuem mais de 60 anos, foi de 1,24%.

Educação financeira

De acordo com análise da TeleCheque, nem todos conseguem administrar bem seus recursos, o que acaba atrasando seus pagamentos. Isso acontece muitas vezes pela simples falta de organização das pessoas, o que pode ser entendido, também, como deficiência na educação financeira.

Como a pesquisa mostrou, os mais jovens são os que possuem maior dificuldade em administrar suas finanças, indicando que é preciso maior esforço no quesito educação financeira que, de acordo com a TeleCheque, “naturalmente deve começar dentro de casa”.

A diretora de recuperação da TeleCheque, Dirlene Martins, dá algumas dicas para evitar a inadimplência, sem abrir mão do consumo:

Escolha parcelamentos sem juros, ou com os menores juros;

Não dependa de cheque especial, ou outras formas de financiamento, para complementar seu salário; Pesquise, não compre sem pesquisar preço, juros e taxas; Certifique-se de que as parcelas cabem “no seu bolso” (no seu ganho mensal); Não comprometa mais de 30% do seu salário com financiamentos; Quando for utilizar a forma pré-datada, anote no canhoto o valor, credor (para quem você emitiu o cheque) e data do “bom para”; Verifique diariamente os cheques que serão depositados naquela data versus seu saldo em conta corrente. Deposite um valor complementar para tarifas.

veja também