Jovens sonham mais com formação e emprego do que com consumo

Jovens sonham mais com formação e emprego do que com consumo

Atualizado: Quarta-feira, 15 Junho de 2011 as 9:09

Encarados como o centro primário de influência da sociedade, por possuírem valores e comportamentos que são aspiração para os mais novos e inspiração para os mais velhos, os jovens com idade entre 18 e 24 anos foram objeto da pesquisa "O Sonho Brasileiro".

Divulgado na última segunda-feira (13), o levantamento detectou que essa parcela da população tem seus sonhos menos ligados às questões relacionadas ao consumo e mais voltados à formação profissional e ao emprego.

Isso porque enquanto apenas 15% mencionaram a casa própria, 9% o dinheiro e outros 3% carro, moto e eletrodomésticos, 55% desses jovens entrevistados responderam que seus sonhos individuais estão mais ligados à carreira.

O objetivos do estudo era identificar os elementos em comum dos sonhos individuais e coletivos desse público e delinear os impactos e as perspectivas de suas ações.

Carreira

Dentro das respostas relacionadas à formação profissional e ao emprego, 24% estavam relacionadas à "profissão dos sonhos". E sabe qual é a carreira que a maioria desses jovens deseja ter? A de empreendedor, administrador e montar o próprio negócio, com 4% das respostas.

Em seguida, vieram as profissões de médico, engenheiro e advogado, com 2% das respostas cada. Já os sonhos de ser professor, psicólogo, músico, de seguir a carreira militar, passar em concurso público, ser veterinário e jogador de futebol tiveram 1% das respostas cada uma. As outras profissões totalizaram 7%.

Emprego

Ainda dentro dessas mesmas respostas, 16% delas estavam direcionadas às questões mais funcionais sobre o emprego. Por exemplo, 7% dos jovens entrevistados desejam ter um emprego melhor.

Já 3% deles têm o sonho de alcançar seus objetivos profissionais. As outras respostas citadas foram crescer profissionalmente e ter reconhecimento e conseguir um emprego, ambas com 2%, além de conseguir o primeiro emprego e ter estabilidade, as duas com 1%.

A pesquisa ainda identificou que há uma nova relação entre trabalho e dinheiro. Os jovens não querem mais viver para trabalhar, como seus pais, e sim, trabalhar para viver. E como o trabalho precisa responder a uma vontade de realização pessoal, não apenas uma fonte de renda, esses jovens entram em conflito com seus pais.

Assim, embora estabilidade, carreira e dinheiro tenham sua importância, dividem espaço com outras motivações. Muitos deles, por exemplo, preferem ganhar um pouco menos e ter mais qualidade de vida.

Ensino Superior

Uma descoberta de destaque da pesquisa é que a formação superior é algo muito desejável para os jovens brasileiros.

Entre os 79% com idade entre 18 e 24 anos que não estão ou não passaram pelo Ensino Superior, 77% deles ainda desejam cursar uma faculdade. Outros 6% afirmam que ainda não se decidiram e apenas 16% dizem que não desejam seguir esse tipo de formação.

Sonho coletivo

As respostas que os jovens deram, quando questionados sobre os sonhos para o Brasil, podem ser agrupadas em duas grandes categorias:

31% estão relacionadas a sonhos de reparação: sendo que 18% sonham com menos violência e 13% com menos corrupção; 28% estão ligadas a sonhos de realização: sendo que 10% desejam mais empregos para o País, outros 10%, mais igualdade racial, e 8%, mais educação.

veja também