Jovens usam vodca como colírio para ficarem bêbados, mas prática pode cegar

Jovens usam vodca como colírio para ficarem bêbados, mas prática pode cegar

Atualizado: Quarta-feira, 16 Junho de 2010 as 8:57

Quando você começa a crer na humanidade, alguém inventa de pingar vodca nos olhos, e isso vira mania.

Nos EUA e no Reino Unido, os teens (meninos, em sua maioria) usam a bebida como colírio, provocam uns aos outros e, é claro, registram tudo em vídeos que vão parar na internet.

Assistir à brincadeira é quase como ver um filme de terror: dá vontade de fechar os olhos diante de cenas como a de dois amigos com a cabeça metida numa bacia cheia do destilado.

Um grita "abre os olhos!", o outro os esfrega como se tivesse levado uma borrifada de spray de pimenta no rosto. Só que a brincadeira pode ter consequências sérias.

Embora adeptos digam que o método aumenta a sensação de estar bêbado --porque o álcool passaria pela membrana dos olhos e chegaria ao sangue--, os médicos afirmam que vodca nos olhos pode causar inflamações graves, queimação da córnea e até cegueira.

Oftalmologistas aconselham a nunca embarcar nessa. O problema é que, em geral, quem pinga vodca nos olhos já está mais para lá do que para cá.

Apesar das advertências contra a prática, uma busca no YouTube (por "vodka eyeball") resulta em centenas de vídeos. Um deles --pasmem!-- é estrelado por Tico Santa Cruz, 32, vocalista do Detonautas Roque Clube.

Um belo dia, no camarim de um show, Tico resolveu testar a técnica.

"Não sei se deu algum barato a mais porque já estava bem louco na hora", disse, em entrevista ao Folhateen. O que ele lembra é que seu olho ardeu por dois dias.

É perigoso? "É claro. Fiz porque queria saber qual era a viagem, mas foi só essa vez", diz. "Depois, um amigo oftalmologista explicou que isso pode dar problemas."

Tico não acha que seu vídeo possa influenciar os jovens. "Não é uma coisa legal de se fazer. Se quiser copiar algum vídeo meu, tenho coisas mais legais na internet." Esperamos que sim.

Por: Cristina Fibe

veja também