Ligações para a polícia são feitas ao sentar com o celular no bolso

Ligações para a polícia são feitas ao sentar com o celular no bolso

Atualizado: Quarta-feira, 7 Dezembro de 2011 as 11:25

Onde você costuma guardar seu telefone celular? Aparentemente, boa parte dos norte americanos tem o hábito de deixá-lo em seu bolso traseiro, o que vem ocasionando um surto de ligações de emergência indesejadas cada vez que seu dono senta sobre o aparelho, ou esbarra com ele.

De acordo com uma pesquisa realizada pela CBS2, só a central de Polícia de Evanston, em Chicago, registrou o equivalente a 50% de suas chamadas de telefones remotas - uma média de 500 ligações - advindas de sentadas em celulares ou contatos desses em paredes e demais superfícies, capazes de iniciar a chamada. Por mais que essa seja uma informação até divertida, se pensarmos no volume de traseiros discadores compulsivos que habitam a região, o problema torna-se ainda grave quando vai ao encontro dos procedimentos e condutas de segurança da corporação.

Seguindo o protocolo de segurança policial, cada operador de telefonia deve manter-se ‘na linha’ telefônica até que a ligação seja desligada. Caso isso ocorra, a ligação deverá ser retornada a fim de verificar se há uma emergência ou se houve somente uma discagem por engano. Não sendo possível contatar a pessoa, é iniciado um procedimento para rastrear o telefone e, posteriormente, o envio de viaturas para checar se está tudo OK.

Esse quadro ainda é agravado devido à rotineira inclusão de discadores de emergência na telas de muitos celulares, - especificamente com o número 911 -, que acabam sendo discados quando seu usuário não é lá muito cuidadoso, ou passe por um momento de desatenção.

As autoridades locais pedem que usuários de telefones sejam mais cautelosos ao armazenarem seus aparelhos, já que em momentos de verdadeiras emergências, ligações glúteas poderiam dividir o volume de homens disponíveis para um socorro real, deixando-os sob alerta desnecessariamente devido a essa imprudência.

veja também