Lugar de menina também é na cozinha

Lugar de menina também é na cozinha

Atualizado: Quinta-feira, 31 Março de 2011 as 2:26

Nada de miojo ou fast food. Embora rápidos e práticos, esses alimentos nada saudáveis foram eliminados do menu de meninas que pararam de ver as panelas e temperos como mera obrigação e descobriram o prazer de cozinhar. Cada vez mais ousadas e criativas na cozinha, elas seguem receitas, modificam e até criam pratos.

Carolline Siqueira, de 16 anos, começou a se virar no fogão por necessidade e já é requisitada na cozinha em ocasiões especiais. “Comecei a fazer comida quando tinha uns 10 anos”, conta a adolescente, que ficava em casa sozinha enquanto os pais trabalhavam e aos poucos foi aprendendo a fazer pratos light, a especialidade dela.

Depois de experimentar em um restaurante, Carolline começou a preparar uma salada com alface, frango, molho mostarda, queijo ralado e croutons para a família. “Eles adoram”, conta. E, com seis anos de experiência na cozinha, a adolescente até inventou o “Frango Cremoso”. “Coloco frango desfiado, creme de leite, milho, erviha , queijo e presunto picados”, explica.

Depois, o conteúdo vai para o forno. É o prato preferido da futura estudante de medicina, mas um tanto quanto trabalhoso, segundo ela.

A estudante de arquitetura Liv Laur, de 18 anos, também começou cedo. Aos 12 anos, Liv já fazia arte na cozinha. Mas o forte dela são os doces. “Sempre que tem jantar especial ou algum evento eu faço bolos, tortas e trufas”, diz ela. A mãe da estudante ajuda na preparação dos pratos salgados, mas a sobremesa é por conta de Liv.

A rotina da “doceira” é pesada. De manhã ela vai à faculdade e passa a tarde fazendo trabalhos. Então, para ganhar alguns trocados, Liv faz trufas. O negócio ainda é recente, mas ela está se dedicando. “Eu divulguei e agora quero vender, pois o dinheiro ajudaria bastante”, diz.

Liv também tem uma receita de sua autoria, o Bolo Creme de Chocolate Branco com Morangos. “Eu juntei algumas receitas e ingredientes que eu gostava e criei”, conta.

Dieta vegetariana

  Para os carnívoros, quando alguém revela ser vegetariano, a pergunta que se passa pela cabeça é: "mas, o que essa pessoa come, então?". A escolha pode parecer restrita em opções, mas mas Renata Brum, de 19 anos, garante que não faltam pratos saborosos sem carne. “Eu faço lasanhas, saladas, strogonoff de soja e outros”, enumera.

Renata começou a cozinhar aos 14 anos, por uma necessidade: “Eu parei de comer carne e minha família é muito habituada a comer, então tive que aprender a preparar algumas refeições”, conta. Atualmente, como mora longe dos pais, a gaúcha é quem pilota o fogão. “Se almoço fora de casa, de noite acabo tendo que fazer algo para comer, para suprir as proteínas e não ficar só no sanduíche”. Apesar da obrigação, Renata diz que quando vivia com a família o momento de cozinhar era muito importante, “como se fosse um ritual”, descreve.

A estudante de odontologia tenta alguns improvisos na cozinha, com os ingredientes que encontra na geladeira. Mas, o que ela recomenda mesmo é a lasanha de berinjela, sem massa. “Adoro berinjela, com qualquer coisa”, diz. Segundo ela, a receita é leve, light e deliciosa.  

veja também