Maratona São Paulo-Rio começou ontem e tem categoria só para jovens

Maratona São Paulo-Rio começou ontem e tem categoria só para jovens

Atualizado: Sexta-feira, 22 Outubro de 2010 as 4:15

Às cinco da manhã desta quinta-feira (21), 260 intrépidos corredores saíram do Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, rumo à Praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, em um desafio de 600 km promovido por uma marca de produtos esportivos. Neste ano, porém, a novidade do Nike 600k é a inclusão de uma categoria sub-25 na prova. Para incentivar a faixa mais jovem a praticar esportes, a marca isentou-a da taxa de inscrição. Dos 260 participantes, metade deles é sub-25.

Em um prova como esta, disputada em equipes, a grande dificuldade é encontrar parceiros. Mesmo assim, a tecnologia pode ajudar, como no caso de Bruno Ogata. "Havia um problema. Não tenho muitos amigos que correm. Após participar do Circuito das Estações, acabei conhecendo o Antonio Colucci na Tenda dos Twitersrun. [@twitersrun]".

Foi na rede social que o engenheiro acabou encontrando o resto de seu time. A maioria não se conhecia. Entre eles há um biólogo e uma professora de educação física. "Na minha faixa etária as pessoas praticam bastante esporte. Mas são outras modalidades, como futebol, vôlei, basquete. Corrida não é muito usual, mas tenho notado que alguns amigos já estão sendo ‘picados pela mosquinha’, como os corredores costumam dizer."

Ogata não consegue colocar em números o aumento de corredores de rua, e também não há nenhum dado oficial fornecido por secretarias de esporte. Se não é possível quantificar, basta olhar o calendário de provas até o final do ano para se ter uma ideia: são oitenta eventos, até a realização da São Silvestre, em 31 de dezembro.

"Gosto muito desse formato, não apenas por causa da competição em si, mas porque é um momento em que as pessoas se encontram e estão lá para se divertir correndo. Cada um tem seu próprio objetivo, seja para ter uma vida mais saudável, ou até mesmo uma meta de performance. Mas esse momento de estar junto com pessoas, isso sim é o que me faz sentir satisfeito", confessa o corredor.

Não é para qualquer um

Uma prova como o Nike 600k não é para corredores de primeira viagem. Cada equipe tem 13 participantes, que percorrem 7km três vezes por dia, durante três dias consecutivos. O fisiologista e médico do esporte da Universidade Federal de São Paulo, Paulo Zogaib, afirma que "se o indivíduo já está condicionado, três a quatro meses de treinamento voltado para esse formato específico são o suficiente para deixar o atleta apto."

"Quando você corre 7 km e está treinado, é relativamente pouco. Só que tem que pensar que depois de mais ou menos uma hora ele vai correr de novo, e depois de novo...", pondera o especialista. "A ideia não é se concentrar nos primeiros sete quilômetros. É saber que vai haver um acúmulo, um desgaste muito grande nos dias subsequentes."

O engenheiro Bruno Ogata disse que estava se preparando há apenas quinze dias. Porém, sempre corre maratonas de 10 km. Seu ritmo de treinos é regrado. "Durante a semana sou obrigado a correr na academia, na esteira mesmo. Isso geralmente ocorre de duas a três vezes. Aos domingos, eu corro em algum parque da cidade, geralmente o Ceret ou o Ibirapuera."

Zogaib afirma que Ogata está certo em sua preparação e alerta: "correr 7km por dia não traz benefício nenhum. Não é essa a carga que deve ser praticada no dia a dia. Não é saudável. Você vai se desgastar, não ter tempo de se recuperar. Pode criar desde lesões no aparelho motor até problemas simples, como bolhas, câimbras. O atleta tem que fazer uma carga muito menor, para que o corpo se recupere completamente pra sobrecarga do dia seguinte." Para ele, o treino deve ser mais leve, sempre seguido de um trabalho de recuperação, como um trote ou uma bicicleta ergométrica leve.

O Nike 600k passa pela Rodovia Rio-Santos, os municípios de Bertioga, das praias de Itaguaré, Boracéia, Cambury, Maresias, Paraty, Angra e diversos outros pontos da bela costa do sudeste brasileiro até sábado, 23.

veja também