Mergulho em caverna: Radical, mas nem tão perigoso

Mergulho em caverna: Radical, mas nem tão perigoso

Atualizado: Terça-feira, 22 Fevereiro de 2011 as 9:04

Quem gosta de rapel, escalada, canoagem, rafting ou mergulho, certamente já viu seu esporte preferido sendo realizado numa certa cidadezinha do interior do Mato Grosso do Sul, que tem um nome tão bonito quanto sua paisagem. Bonito há bastante tempo já faz parte do cenário nacional dos esportes radicais. Existe uma vocação natural da cidade para esta atividade. Tanto visitantes como moradores se sentem atraídos por estes esportes onde a aventura, o desafio e o risco calculado fazem a adrenalina invadir o corpo, trazendo emoções tão fortes e assustadoras que as vezes até duvidamos delas.

Neste cenário, o Mergulho em Cavernas tem em Bonito, uma das regiões mais importantes para a prática deste esporte no Brasil. A atividade vem crescendo há vários anos, desde que chegou com força ao Brasil na década de 90. Em 2000 tivemos uma retração do mercado em função da política do IBAMA/CECAV, que manteve as cavernas fechadas por dois anos em todo o país. Porém agora, com a reabertura de algumas cavernas, os praticantes desta modalidade de mergulho, que iam até Akumal no México ou Flórida nos EUA, terão novamente um lugar aqui no Brasil, para praticar, aprender ou aprimorar a técnica. Aliás, muita técnica, disciplina, auto controle, uso de equipamento adequado e treinamento é o que precisa alguém que queira se aventurar por cavernas submersas.

O esporte já foi considerado de altíssimo risco, pois muitos acidentes fatais aconteceram anos atrás nos EUA e até aqui no Brasil. Analisando-se estes acidentes, a conclusão e de que a grande maioria deles aconteceu por falha humana. Quase sempre quando foram desrespeitados preceitos básicos de segurança ou limites de profundidade e treinamento do praticante. O avanço tecnológico na área de equipamentos, os métodos de ensino disponíveis e o controle por parte das autoridades, fizeram com que as fatalidades diminuíssem e o mergulho em cavernas passou a ser uma atividade muito mais segura, desde que praticada com consciência e respeito.

Milhares de pessoas entram em cavernas submersas, em busca de um mundo desconhecido e fascinante. A escuridão que assusta, faz o mergulhador usar até três lanternas para o caso de uma delas falhar. O ar, que nos é tão importante, é levado nas costas em pesados cilindros e parece nunca ser o bastante para nos sentirmos seguros. Planejar um mergulho complexo por túneis e labirintos e depois executar este plano com sucesso, é a recompensa por todo o tempo gasto com os preparativos necessários. O ritual de montagem configuração e desmontagem do equipamento por vezes é mais complicado que o próprio mergulho. Tudo isto é o que move a paixão por este esporte, que faz Bonito ser notícia.

veja também