Mônica Iozzi: "Me sinto acusada de um crime que não testemunhei"

Mônica Iozzi: "Me sinto acusada de um crime que não testemunhei"

Atualizado: Quarta-feira, 9 Novembro de 2011 as 1:02

Mônica Iozzi, única mulher do CQC, da Band, está na edição de novembro da revista Tpm. À publicação ela falou sobre suas matérias em Brasília e a polêmica envolvendo seu colega de trabalho, Rafinha Bastos.

"Me sinto acusada de um crime do qual não fui nem testemunha", desabafa ela, sobre como está sendo afetada com o afastamento de Rafinha, após dizer na bancada que "comeria" a cantora Wanessa e também o filho que ela espera.

Mônica confessou que antes de começar a fazer suas reportagens com os políticos do Congresso não acreditava em energia negativa. "Agora saio de lá moída, como se tivesse feito trabalho braçal", disse.

Por outro lado, ela revela sua fraqueza. "Às vezes eu choro. Nunca na frente dos políticos, mas quando sou agredida verbal ou fisicamente, fico triste por imaginar que uma pessoa que deveria estar ali para ajudar o País está fazendo justamente o oposto".

veja também