Namoro entre amigos pode dar certo?

Namoro entre amigos pode dar certo?

Atualizado: Quarta-feira, 23 Novembro de 2011 as 9:05

 Você começa um namoro, termina o namoro, parte para outra, fica de recuperação, briga com o irmão, e todas as suas lamentações, alegrias e novidades são divididas com o mesmo menino, que está sempre ao seu lado, dando conselhos e te fazendo rir.

Só que um belo dia, aquele “quase irmão” se torna mais bonito, mais atraente e eis que, assim como Taylor Swift em “You Belong With Me”, que diz que “Aquilo que você procura estava aqui o tempo todo”, você está apaixonada pelo seu amigo.

Tudo bem, não entre em pânico. Já aconteceu com outras pessoas. “Nós nos conhecemos na época da viagem de formatura da escola”, conta a estudante Joanna Flora da Silva, de 19 anos. “Fui conhecendo a forma como ele tratava a família, como priorizava as mesmas coisas que eu... Ele sempre foi muito bonzinho”, diz a estudante, que entre um papo e outro sobre as músicas que escutavam e os problemas que estavam enfrentando, se apaixonou pelo amigo Vinícius Valentim, de 20 anos. Joanna preferiu não contar para ele que estava sentindo algo mais do que amor de amigo, mas os dois acabaram ficando.

“Logo depois que ficamos, eu olhei pra ele e falei ‘o que a gente fez?’. Mas ele pediu para aproveitarmos e pensarmos nisso só no dia seguinte”, conta. Eles continuaram ficando por mais de um mês e, no aniversário de Joanna, começaram a namorar.

“Não fiquei em dúvida sobre namorar com ele porque, pra mim, já tinha deixado de ser só amizade há muito tempo”, diz Joanna. Os dois estão juntos há quase um ano e Joanna conta que namorar alguém que já era tão próximo é uma vantagem. “Quando nós éramos só amigos ele vinha desabafar sobre a ex-namorada, então eu já sabia do que ele não gostava que fizessem”, explica. Mas, por outro lado, ela sabe que, se o namoro acabar, perde também um grande amigo. “Eu não acredito muito em amizade com ex. E, quando ele arranjar outra namorada, existem grandes chances de ela não querer que ele troque nem um oi comigo, porque sou ex-namorada”, diz Joanna.

O outro lado da história Meninos costumam ser mais práticos do que meninas, mas nem por isso passam ilesos por um romance desses. Eles também ficam preocupados com a amizade e têm algumas dúvidas sobre o que fazer.

O operador de telemarketing Raimundo Escóscio, de 19 anos, conheceu a garota por quem é apaixonado visitando uma amiga na feira de ciências do colégio. Os dois começaram a conversar e perceberam várias coisas em comum. “Temos os mesmos amigos e gostamos das mesmas coisas, até das mesmas comidas”, conta.

Raimundo já se declarou para a amada e os dois chegaram a trocar mais de 500 mensagens de texto pelo celular em cinco meses. “Sempre escrevíamos sobre o que sentimos. Quando ela acordava, já me mandava uma mensagem”, revela. Apesar de os dois se gostarem, a garota é comprometida, e chegou a terminar com o namorado, mas reatou o relacionamento. “Nós ficamos umas cinco vezes, mas depois que eles voltaram continuamos só amigos”, conta.

Embora queira manter a amizade, Raimundo fica incomodado com a situação. “Sinto uma coisa por ela da qual não consigo me livrar. Não vejo em outras meninas o que vejo nela, e não tenho vontade de ficar com outras”, confessa.

Mesmo assim, para não se machucar, achou melhor comprometer a amizade e se afastar, ao menos um pouco, da menina. “Quanto mais perto dela eu fico, mais me envolvo. Mas ela ficou meio chateada, porque não queria que eu me afastasse”.

Vantagens e desvantagens Para o professor da Faculdade de Psicologia da Universidade São Judas Tadeu Nicodemos Batista Borges, um namoro entre amigos pode até dar certo, mas isso não é uma regra. "Um relacionamento afetivo é muito diferente de uma amizade. Nela, o compromisso é menor e não há sentimento de posse", explica. "Então pode ser que o namoro não dê certo por mudar os papéis".

Mas, mesmo assim, a amizade já é um bom começo para o romance. "As relações têm que ter uma amizade, é preciso que você goste do outro, admire o outro, então isso pode ser saudável", diz a professora da faculdade de psicologia da FMU Kátia Pavani Gomes.

Além disso, você não precisa passar o começo do relacionamento se dedicando a conhecer melhor o outro. "Namorar um amigo não é a mesma coisa que namorar alguém que você não conhece tão bem. Se tem algo de positivo nisso, é que você já sabe os costumes e gostos do outro e isso pode facilitar", afirma Nicodemos.

Para os especialistas, o lado ruim de namorar alguém tão próximo é o mesmo que Joanna Flora, que se apaixonou pelo amigo Vinícius, aponta: se acabar o romance, você pode perder um grande amigo. "Algumas pessoas preferem não manter o contato quando a relação acaba porque é muito difícil retroceder depois que a amizade evolui para um namoro", afirma Kátia. "Manter a amizade é possível, mas depende de como o namoro começa e como termina", diz Nicodemos. "Por isso, antes de começar vale avaliar os prós e contas. Mas cada caso é um caso".

veja também