Namoro segundo a vontade de Deus - o propósito

Namoro segundo a vontade de Deus - o propósito

Atualizado: Sexta-feira, 18 Novembro de 2011 as 2:59

Como é, o namoro segundo a vontade de Deus? É sobre isto que meditamos no último texto, que tratamos da questão da escolha. Neste, pensaremos num outro tema igualmente importante: qual é o real propósito do namoro?    

De alguma maneira, após estudarmos o propósito do namoro, a preocupação com a escolha, trabalhada no texto anterior, se mostrará ainda mais evidente. Existe uma razão para namorar. A idéia de 'namorar', simplesmente por ?namorar?, deve ser descartada. Namoro não é tempo de 'curtição'.

Traga a sua mente o início da história humana. A união de um homem com uma mulher, por meio do casamento, foi idéia de Deus. Foi ele quem disse: Portanto, o homem deixará o seu pai e sua mãe e se unirá a sua mulher (Gn 2:24). E, não se apresse em ler este texto. Medite... O que Deus criou aqui em Gênesis? O casamento, isso mesmo! Deus não criou o namoro. O namoro é o primeiro passo para o casamento. Se Deus nunca tivesse instituído o casamento o namoro também não existiria.

"Ah! Mais então quando duas pessoas começam namorar elas são obrigadas a se casar?!". Não, lógico que não. Quando duas pessoas começam a namorar, isso não significa, absolutamente, que eles irão se casar. Muitas coisas podem acontecer durante o relacionamento; inclusive o término dele. Entretanto, um namoro, deve significar, pelo menos, que os envolvidos pensam em se casar.

O namoro deve mirar, visar o casamento. O conceito de "curtição" deve dar lugar ao conceito de 'preparação'. Esse é o propósito real do namoro. Duas pessoas diferentes, que vão se conhecer melhor, se relacionar, passar tempo juntas, visando o casamento. É claro que isso não significa que a pessoa deve começar namorar hoje e casar-se amanhã - casamento é coisa séria. Todavia, deve no mínimo começar a pensar no assunto.

Por Ms. Eleilton Freitas

veja também