O Pródigo em Mim IV

O Pródigo em Mim IV

Atualizado: Quarta-feira, 8 Junho de 2011 as 11:11

"Será que realmente estou vendo isso?" Perguntou-se, esfregando os olhos. Mas era isso mesmo: o pai estava debruçado na janela. Ele tinha um monte de afazeres... Embora tivesse muitos funcionários, haviam algumas coisas que ele mesmo gostava de fazer e enquanto o filho se aproximava, percebia que essas mesmas coisas estavam com aparência de que não eram feitas há muito tempo.

Os passos tornavam-se cada vez mais difíceis de completar. Ao mesmo tempo que em seu coração havia uma vontade imensa de correr para o pai, abraçar e chorar, em sua consciência havia um peso e em seus ombros, uma acusação. A jornada de volta foi a mais difícil de sua vida, mas em nenhum momento lembrou-se do mundo, nem mesmo virou-se para olhar pela última vez... Queria esquecer aquele passado tão desgastante que viveu até ali.

Ao passar pela porteira que anunciava a propriedade, notou que o pai forçava a visão para realmente ver se era seu filho. Ao confirmar, um sorriso esperançoso surgiu imediatamente e o pai correu desesperadamente, sem se importar com a idade já avançada. Parou. O olhar se cruzou. A respiração estava ofegante. Uma lágrima escorreu em sua face... Se abraçaram em silêncio. Um abraço que a princípio, estava contido transformou-se em grande dor, quando o filho sentiu o cheiro imutável das roupas do pai... E lembrou de toda sua infância, todo o conforto que sentia, toda a proteção do pai... Lembrou também de toda humilhação que viveu durante essa "viagem" e o quanto ansiava por aquele abraço.

Quando começou seu discurso já ensaiado, dizendo ao pai que havia pecado contra ele e que não era digno de ser filho, o pai logo cortou, dizendo que gostaria que houvesse uma festa para celebrar o retorno do filho. Colocou um novo par de sapatos, uma nova roupa e um anel em seu dedo. Mandou sacrificar um bezerro para que celebrassem e juntos comemoraram durante todo período possível.

Talvez hoje você esteja parado na porteira, ensaiando o que falar para Deus, como assumir um erro ou como pedir perdão... Mas Deus sabe tudo isso e espera que você dê somente o primeiro passo para que ele saia da janela e corra até você. Mas ao contrário dessa história, o bezerro já foi sacrificado: Jesus já morreu para te livrar dos seus pecados, para que reconcilie-se com seu pai...

Não perca tempo... Dê o primeiro passo e passe pelo menos essa noite em segurança.

Por: Bruna Vichi, 18 anos - estudante de jornalismo

veja também