Os melhores momentos da série FIFA Soccer

Os melhores momentos da série FIFA Soccer

Atualizado: Quarta-feira, 31 Agosto de 2011 as 1:20

Antes de entrar nos gramados, a Electronic Arts era uma típica desenvolvedora norte-americana com bons jogos para diversas plataformas. Uma como tantas outras existentes no começo da década de 1990. O lançamento da série FIFA Soccer certamente impulsionou a empresa para todos os cantos do globo, na maré do futebol, esporte mais popular e mais praticado em todo mundo.

O pontapé inicial veio com FIFA International Soccer, game que pegava o gancho da Copa do Mundo de futebol, realizada em 1994 nos EUA, país onde o velho esporte bretão nunca desfrutou de tanta popularidade. Além da propagandeada visão isométrica (no estilo Sim City e Syndicate), o maior diferencial do jogo era contar com a licença da FIFA, a entidade máxima do futebol.

Programadores boleiros

Lançado no Natal de 1993, o título não contava com os nomes oficiais dos jogadores, que eram conhecidos por nomes fictícios, como a lenda brasileira dos gramados virtuais Janco Tianno, e até membros da equipe desenvolvedora, como Brian Planck e Kevin Pinknett. As partidas contavam até com o tradicional cara-ou-coroa para definir quem dá o kick-off, um recurso que nunca mais foi explorado na série (e acabou sendo usado em International Superstar Soccer).

Com o sucesso, FIFA Soccer 95 foi uma consequência óbvia. A licença da FIFA resultou em uma vantagem que perdurou por anos entre os games de futebol: times licenciados das principais ligas do mundo, como a inglesa, italiana, espanhola, alemã, holandesa e, claro, equipes brasileiras. Essa adição conquistou o coração dos torcedores, que agora poderiam jogar com o time do coração. Os jogadores continuavam fictícios, mas em FIFA Soccer 96 a EA obteve a licença pioneira da FIFPro (Federação Internacional de Jogadores) e então craques como Romário, Hristo Stoichkov, Eric Cantona e outros fizeram suas estréias em gramados virtuais.

O visual de FIFA Soccer 96 foi produzido em Silicon Graphics, uma das tecnologias gráficas mais modernas da época

Esta versão também marcou a primeira vez a série recebia um motor gráfico 3D nas versões para PlayStation, Sega Saturn, 3DO e 32X, algo que se tornaria um padrão nas próximas versões. As próximas edições do game receberam diversas melhorias, reformulações e tornaram a série uma das mais populares e rentáveis dos jogos eletrônicos.

A taça do mundo é nossa

Já que a licença da FIFA foi um dos grandes trunfos da série, a EA decidiu aproveitar a expectativa pela Copa do Mundo de 1998, realizada na França, para lançar FIFA Road to World Cup 98. Além das melhorias gráficas, a jornada épica das seleções na busca pela taça do mundo desde as eliminatórias foram um marco. O modo, chamado “Road to World Cup”, contava com todas as confederações de futebol e suas respectivas seleções, estádios de verdade (como o Maracanã e o San Siro) e vídeos de alguns países, num game muito bem acabado. Era a chance de fazer Samoa Ocidental a próxima campeã do mundo!

Versões baseadas nas eliminatórias e na própria Copa do Mundo são lançadas de quatro em quatro desde então, conforme as edições do mundial de futebol, sempre seguindo todos os detalhes do evento real. Curioso é que o Xbox 360 foi o felizardo ao receber com exclusividade FIFA Road to World Cup 06, baseado nas eliminatórias para a Copa da Alemanha. Jogos da série FIFA exclusivos para um console são tão raros que isso só aconteceu uma vez – além do caso acima – quando FIFA 95 chegou apenas no Mega Drive.

Trilha Sonora

Pode não ser um item crucial em jogos de futebol, mas a EA sempre se destacou muito na trilha sonora de FIFA. Desde os tempos de músicas digitalizadas, em que o compositor Jeff van Dyck assinava os trabalhos, a série já se destacava em relação às concorrentes, que normalmente não davam atenção nessa área.

O supra sumo de FIFA veio a partir de 98, quando a trilha sonora da série passou a ser licenciada e rechada de nomes famosos, como o indie rock do Blur e as batidas eletrônicas do Crystal Method. Depois passariam pela série artistas como Gorillaz, Moby, Kings of Leon, Fat Boy Slim e até Seu Jorge, Cansei de Ser Sexy e Tribalistas. Para compor a canção-tema de FIFA 2000, por exemplo, o inglês Robbie Williams fez uma simples exigência: que seu clube do coração, o Port Vale da terceira divisão inglesa, fosse incluso no jogo. E o pedido foi realizado, mas o time só poderia ser acessado por truques especiais.

Batalha do século

Os dois títulos estão no mercado a quase o mesmo tempo, são as meninas dos olhos de suas produtoras e se degladiam sem misericórdia pelo domínio dos gramados virtuais. Nessa guerra, FIFA e Pro Evolution Soccer passaram por tantas modificações que acabaram copiando características um do outro.

Antigamente a série FIFA era conhecida por sua jogabilidade mais arcade, enquanto a série Winning Eleven (atualmente conhecida como PES) primava pela simulação. Após várias reformulações de jogabilidade os norte-americanos transformaram seu game em um verdadeiro simulador de futebol, e a Konami tem se esforçado para acompanhar o crescimento do concorrente.

FIFA 08 marcou a atual evolução da série como game de simulação de futebol

Mas se a EA detém as licenças da FIFA e da FIFPro, os japoneses partiram para os quatro maiores campeonatos interclubes do mundo: UEFA Champions League, UEFA Europa League, Copa Santander Libertadores e Copa Bridgestone Sul americana. Azar ou sorte dos jogadores, que são obrigados a jogar ambos as séries para saber qual é a melhor!

Narração em português

Na virada do milênio dos dois grandes nomes do futebol virtual, apenas FIFA era lançado também para PC. Para agradar em cheio os jogadores brasileiros, que estavam comprando seus primeiros computadores nessa época, a EA chamou o genial Milton “Que Beleza” Leite para narrar os lances de FIFA 99. Foi um lance certeiro e o narrador permaneceu até FIFA 06.

Além do locutor da SporTV, a série já contou também com outros comentaristas, como as duplas Éder Luís e Neto (World Cup 2006 Germany) e Nivaldo Prieto e Paulo Vinícius Coelho (FIFA 07, 08, 09 e 10). Desde World Cup 2010 South Africa a EA não declarou que os jogos da série não terão mais a narração brasileira, infelizmente.

Futuro

É impossível prever quais serão os rumos tomados na série FIFA que, apesar de caminhar na liderança, já começa a apresentar necessidade de renovação. Em FIFA 12 a EA diz se dedicar ainda mais ao realismo e fluência das partidas, com um sistema de detecção de colisões verossímil e na tentativa de capturar a atmosfera dos estádios no jogo. Se isso será o suficiente para continuar ganhando o jogo da Konami – e suas promessas para PES 12 – é algo que só saberemos da melhor forma possível: jogando os dois!

veja também