Pais, choros, abraços e Jesus

Pais, choros, abraços e Jesus

Atualizado: Terça-feira, 16 Agosto de 2011 as 10:17

Domingo nós comemoramos o dia dos pais. Não sei bem como definiram essa data e, na verdade, isso nem vem ao caso agora.

Domingo foi o dia que separamos para dedicarmos tudo aos nossos heróis individuais, que nem sempre se vestem como um "super herói" ou até mesmo como um Clark Kent, que nem sempre possuem bens materiais e até mesmo saúde, mas que sempre, sempre dão um jeitinho de fazer com que tenhamos certeza que ao final da aula, no primeiro dia no jardim de infância, eles voltarão pra nos buscar. Aqueles que dão suas vidas por nós, que economizam em suas particularidades para que consigamos fazer aquela viagem que sonhamos e que vivem nos incentivando em tudo o que fazemos. "Continue, vai valer a pena"...

Ah, os pais... O que poderíamos falar sobre eles?... Difícil, né? Bem, ontem de noite lá na igreja, nós fizemos uma homenagem aos pais presentes, e depois, no momento da oração, corri pra perto do meu pai e o abracei bem forte enquanto orávamos. Chorei um bocado. Não sei enumerar o que estava passando na minha mente, mas, vou tentar dizer algumas coisas.

O pai é o nosso porto seguro. Aquele que a gente abraça e zaz! Tá tudo bem de novo. Ele também é forte e corajoso, enfrenta todo o mal que possa haver dentro do guarda roupa ou debaixo da cama, numa prova de vestibular ou no final de um namoro, na primeira entrevista de emprego e na compra do primeiro apartamento e no dia do casamento também. Isso sem falar que ele torce muito por nós... Daquele que quase leva plaquinhas com as letras do nosso nome pra levantar enquanto a gente tem algo importante a realizar. Pai, pai...

Mas o que podemos falar sobre Deus? E o seu amor? Não dá mesmo vontade de chorar? Não dá pra conter as lágrimas enquanto sentimos seu amor... É grande, constrangedor e nos preenche. E enquanto eu abraçava meu pai, só podia sentir amor, amor e amor... do pai... do nosso pai, que usou aquele momento pra mostrar pra nós que ele nos ama. Depois que soltei meu pai, percebi um jovem sentado, tampando o rosto com suas mãos, chorando muito. Entendi que era algo relacionado ao pai dele que não estava presente, mas, mesmo sem saber o que é, juntei uma galera que estava próxima e nos abraçamos com ele. Faz pouco tempo que ele está na igreja e olha, que maravilhoso sentir o amor de Deus que até aquele momento estava dentro de mim, transpassar por meus braços para que o outro pudesse sentir também. Ele chorou e agradeceu... Depois de tantos anos, conseguiu sentir o amor do pai...

Dia dos pais faz sentido pra nós. Mas deve fazer sentido pra todos e é nosso papel proporcionar isso. Abrace seu pai hoje e abrace outra pessoa logo depois. Precisamos ser tocados e precisamos tocar outras pessoas. Existe um mundão aí querendo sentir o abraço do pai que você tem, e aí? Empresta os braços? Engraçado, mas, Jesus emprestou os braços para serem pregados só para que você sentisse o amor do pai… Mas isso já é outra história!

Por Bruna Vichi

veja também