Pais de famosos contam o que é motivo de orgulho nos filhos

Pais de famosos contam o que é motivo de orgulho nos filhos

Atualizado: Quinta-feira, 11 Agosto de 2011 as 11:25

O policial militar aposentado Everardo Oliveira, de 61 anos, não perde um capítulo da novela "Insensato coração", da TV Globo. Já o compromisso de Claudio Castanho e Paulo Ruy Barbosa é com outra novela: "Morde & assopra", da mesma emissora. Os três são pais corujas, que não desgrudam os olhos da TV quando aparecem suas filhas, respectivamente, Paola Oliveira, Klara Castanho e Marina Ruy Barbosa.

"Ter uma menina como a Klara [foto ao lado com o pai e o irmão] como filha é um privilégio, pois é uma pessoa abençoada, do tipo que penso que fui escolhido por Deus para cuidar de uma de suas melhores criações", revela o contabilista Claudio Castanho, pai de Klara, que tem 10 anos e dá vida a Tonica em "Morde e assopra", e também de Lucas, de 7.

"Tive muita sorte com meus filhos. A Klara é uma menina doce e meiga. Quisera todos os pais terem a sorte que tive. É uma criança fácil de lidar e educar. É compreensiva, teimosa, generosa, consumista comigo, pois sabe que não consegue muito com a mãe. Enfim, não tenho muito trabalho em educá-la, somente obrigação de orientá-la e direcioná-la", afirma Castanho.

Educar foi uma das principais preocupações do pai de Paola Olveira. Para o policial aposentado, a filha podia estudar teatro, mas precisava se formar em uma outra faculdade. Paola cumpriu o que pedia o pai e se formou em fisioterapia, mas nem chegou a exercer a profissão. Ao ganhar o papel de Giovana, na novela "Belíssima", o pai reconheceu que a filha estava no caminho certo.

"Os profissionais que trabalhavam com ela elogiavam o trabalho dela. Fiquei muito orgulhoso", conta Everardo Oliveira, que tem outros três filhos, todos homens. Paola é a única filha. "Tinha que ter mais cuidado, né? Eu digo que ela é a gema do meu diamante", diz, aos risos.

A pedra preciosa de Paulo Ruy Barbosa tem cabelos acobreados e 16 anos. Marina Ruy Barbosa ganhou destaque como a esnobe Alice, de "Morde & assopra", enchendo o pai de orgulho. "Eu sempre achei que ela seria atriz. Desde muito pequena ela demonstrou inclinação artística, e já se destacou no primeiro ano do curso de teatro infantil em que a matriculamos", relembra.

A atriz Marina Ruy Barbosa em foto recente e quando tinha apenas 3 anos, com o pai, Paulo Ruy Barbosa

Como filha, Marina é uma adolescente que não dá trabalho, conta o pai. "Ela é uma ótima filha, carinhosa e responsável. Aqui em casa, tudo é decidido em conjunto. Nós sempre tentamos chegar a um consenso, conversando bastante, às vezes até demais!"

Nova identidade

O professor João Barbosa, de 54 anos, é pai do cantor Thiaguinho, vocalista do Exaltasamba, e conta que a paternidade passou a ser destacada quando ele é apresentado a alguém. "Meu sobrenome virou ’Pai do Thiaguinho’", diz Barbosa, que é diretor de uma faculdade em Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul.

"Quando o dono da faculdade vai me apresentar a alguém, por exemplo, ele diz: 'Esse aqui é o meu diretor João Barbosa. Ele é pai do cantor Thiaguinho'. Na família, é a mesma coisa. A gente vira pai de artista", conta, aos risos.

O professor conta que morre de orgulho quando vê o filho no palco, mas que achava mesmo que Thiago Barbosa seria padre. "Quando era adolescente, ele tinha um comportamento tão diferente dos outros, se envolvia tanto nos projetos da igreja que eu achava que ele ia seguir o sacerdócio. O grande sonho era que ele fosse padre."

Thiaguinho virou adulto, seguiu o caminho da música e não decepcionou o pai. "A minha maior alegria é quando falam que ele teve berço, que ele é educado", confessa.

O professor João Barbosa em foto de família com o filho, o cantor Thiaguinho, do Exaltasamba

Francisco, o pai

O Dia dos Pais do ex-lavrador Francisco José de Camargo, de 74 anos, costuma ser bem movimentado. A família é grande, com filhos e netos, entre eles os cantores Zezé Di Camargo e Luciano. A história do clã ficou bem conhecida depois do filme "2 filhos de Francisco", lançado em 2005.

De lá pra cá, conta o patriarca, as pessoas até passaram a cumprimentá-lo na rua, mas, dentro de casa, nada mudou. "Quando eu saio, dizem: ‘Olha o pai do Zezé e do Luciano. Mas, em casa, eles são só os meus filhos", diz.

No próximo domingo (14), Dia dos Pais, o ex-lavrador quer reunir a família. "Quando não dá, a gente se liga. É que eu sou pai, mas os meus filhos também são pais, né? Tem que dar os parabéns dos dois lados."

veja também