Parasitas de emoções

Parasitas de emoções

Atualizado: Quinta-feira, 24 Novembro de 2011 as 9:25

"Camarada, viva a vida mais leve, não deixe que ela escorregu, que te cause mais dor."

Música: Camarada D'água - O Teatro Mágico

Quem aqui nunca andou na grama alta, ou no meio do mato e voltou com visitantes? Aqueles bichinhos nojentos grudados na roupa, ou até no corpo?

O mais comum (principalmente em crianças) é o carrapato.

E ainda quem gosta de se aventurar por rios e açudes corre o risco de voltar com uma amiguinha chamada "sanguessuga".

Nós vemos aqueles documentários sobre medicina alternativa, no qual são mostradas as sanguessugas gigantes, assustadoras engolidoras-de-cabeça, etc. O fato é que a espécie mais comum mede 6cm, parece uma minhoquinha preta.

O mesmo acontece com o carrapato: nós vemos aqueles carrapatos gigantes em cachorros, mas em nós, eles se passam por pintinhas na pele.

O que esses "visitantes" tem em comum são seu tamanho pequenininho e sua capacidade de sugar o sangue de seus hospedeiros. E ainda podem alojar-se sem nós percebermos!

Ao longo da nossa vida, nós "agregamos" diversos visitantes parasitas. São as "pequenas coisas" que abafamos com panos quentes. E esses "visitantes" acabam se alimentando de emoções reprimidas.

Por ser um hospedeiro bem pequeno, essa mágoa parasita não é notada. Porém, com o passar dos anos, nós acumulamos tantos deles se alimentando das nossas bagunçadas emoções que nossa força começa a ser sugada também.

E tudo isso torna a vida tão pesada! Os pequenos parasitas começam a transformar quem somos em zumbis ambulantes pela terra, distorcendo nossa personalidade e contaminando nosso caráter. Não vivemos mais com a mesma intensidade, não nos alegramos tão verdadeiramente, fechamos nossos olhos para coisas que causem qualquer tipo de esforço, não desejamos mais ser tão vivos, tão reais, tão nós mesmos.

Hoje eu vim trazer essa reflexão para vocês entrando na onda da querida Nathalia Ayumi sobre o fim do ano.

Olhe para trás (não só até Janeiro desse ano, ok?) e veja quantas sanguessugas e carrapatos estão hospedados no seu coração.

O que você abafou ou simplesmente colocou no canto da memória e não deu o devido "ponto final"? Quanta coisa você poderia ter finalizado ao invés de ignorar?

Alguns problemas (ou o que achamos que são) levam menos de uma conversa de 30 minutos para se resolverem, mas nós fazemos deles sanguessugas-gigantes-arrancadoras-de-cabeça e ignoramos, ou fugimos, ou nos revoltamos.

Eu aconselho vocês a fazerem uma lista de fim de ano antes de uma lista de ano novo.

Antes de vocês colocarem metas a longo prazo, coloquem metas a curto prazo: escrevam num papel (é gente, papel e caneta!) todas as coisas que vocês precisam finalizar, todos os parasitas que vocês precisam arrancar, e, a curto prazo (1 mês e 10 dias) tentem resolver o máximo que puderem. Conversem, perdoem, façam, desfaçam, refaçam, arrumem, organizem, desorganizem, lutem. Tire tudo aquilo que suga o que há de melhor em você.

Começar o ano com uma listinha de pendências cumpridas (ou sanguessugas arrancadas) estimula o cumprimento das metas de um ano todo, e deixa a vida um tanto quanto mais leve.

De presente um versículo para ser o estímulo da lista de fim de ano:

Não se preocupem com nada, mas em todas as orações peçam a Deus o que vocês precisam e orem sempre com o coração agradecido.

E a paz de Deus, que ninguém consegue entender, guardará o coração e a mente de vocês, pois vocês estão unidos com Cristo Jesus.

Por último, meus irmãos, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios, isto é, tudo o que é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e decente. Filipenses 4:7-8

Música: Camarada D'água - O Teatro Mágico

Comece um ano com a vida mais leve. Não leve nenhum carrapato ou sanguessuga para o ano que vem (:

Por: Camila Komoto

veja também