Peça em cartaz problematiza bullying sofrido por jovens

Peça em cartaz problematiza bullying sofrido por jovens

Atualizado: Terça-feira, 15 Março de 2011 as 11:33

No seu quarto, um rapaz de 16 anos acorda. Quando dormia, seus sonhos remetiam a cardumes, com peixes convivendo juntos e em harmonia. Desperto, sua vida não parece nada com o colorido que imagina de olhos fechados: vive sozinho, trancado no quarto e, além de ser tímido por natureza e pouco conseguir se comunicar com as pessoas, sofre abusos dos colegas na escola. Este é o enredo de "Jeremias Não Quer Mais Sonhar", peça que tenta levar a discussão do bullying para o público jovem.

"A gente tem uma tendência a olhar o outro de uma maneira diferente, às vezes mesmo em casa. Acho que isso nunca vai acabar, mas é importante discutir para amenizar a situação", explica Marcos Lopes, roteirista e diretor do espetáculo, que ainda acrescenta: "Na minha época não tinha nome. O bullying agora tem nome, mesmo assim acho que se fala pouco disso, é necessário falar mais".

Os dois "Jeremias": Leonardo Silveira,18, e Gustavo Lázaro, 19

Envolvidos com o tema, todos os atores da companhia de teatro Ciabatta - a peça possui dois elencos, que variam em cada apresentação - têm uma opinião particular sobre o assunto. "Hoje em dia com a vida corrida delega-se muito a educação para a escola e muitas vezes os pais não têm nem noção do que acontece", filosofa Milene Haddad, uma das atrizes que vivem a mãe do protagonista.

"Muitas vezes os filhos chegam a falar para os pais o que acontece, mas acabam não sendo levados a sério, acham que é brincadeira", diz Leonardo Silveira, o "Jeremias", que, curiosamente, também tem sua história particular com o tema. "Comecei a sofrer bullying justamente quando iniciei no teatro. Sempre tenho que ouvir que ser ator é coisa de drogados, de homossexuais... Não só eu, mas toda minha turma do teatro na escola era excluída de tudo".

Durante a peça, mãe (Milene Haddad) sofre ao conhecer situação do filho

A escolha do assunto por Lopes está relacionada, não só a sua relevância, mas também a uma carência de São Paulo por peças voltadas ao público adolescente.  "Falta uma quantidade maior de peças para o público jovem. A maior parte dos espetáculos é voltada, geralmente, ou para os adultos ou para as crianças", conta o diretor.

Para que o público se familiarizasse diretamente com o que acontece no palco, a companhia optou por alguns recursos. "As músicas, a forma dos diálogos e, principalmente, o assunto - o bullying - tudo isso remete diretamente ao universo jovem", revela a atriz Sarah Lopes.

Serviço

Jeremias Não Quer Mais Sonhar

Texto e direção: Marcos Lopes

Estrelado por: Gustavo Lázaro, Leonardo Silveira, Milene Haddad, Litcia Orellana, Deborah Zanette, Carlos Jordão, Jean Dim, Eber Rodrigues e Sarah Lopes

Duração: dias 19 e 26 de março, às 18h30

Local: Teatro Ressurreição (Rua dos Jornalistas, 123, Jabaquara)

Entrada: ingressos de R$ 20 eR$ 40

Mais informações: 4003 2330 ou no site do teatro

Por: Rafael Bergamaschi

veja também