Perdoar e ser perdoado

Perdoar e ser perdoado

Atualizado: Quarta-feira, 1 Junho de 2011 as 10:14

Você já parou pra pensar na importância do perdão? Aceitar um erro e perdoar não é assim tão fácil quanto parece... Custa tempo, custa lágrima, custa dor. O perdão é oferecido a partir do momento em que a acusação perde forças. Perde forças para o amor, para a gentileza, mas não para o esquecimento. Quando se perdoa, não se esquece; apenas assegura-se que o erro não mais tem o poder de acusar.

Como é difícil perdoar!

Como é difícil aceitar que o erro de alguém que te feriu de forma não intencional precisa de perdão, assim como você carece desesperadamente do perdão de Cristo. Mas acredito que mais dolorido ainda é perdoar aquele que te desmoralizou frente ao público, te deixando desacreditado na comunidade. É terrivelmente pior perdoar quem nos fere intencionalmente.

É como tirar uma faca que está cravejada no peito. O trajeto dói tanto quanto o inicial. E em alguns casos, pode ser fatal.

Em uma análise bem pessoal, assumo: tenho dificuldades em perdoar. Principalmente se for para voltar a admirar alguém que pisou na bola. Ai Deus, como isso é complicado!

Mas sabe qual é a graça disso tudo? Deus nos perdoa TODAS AS VEZES através de Jesus Cristo. Isso mesmo! Não importa se você cometeu um "pecadinho" ou um "pecadão", és perdoado. Não importa se o erro foi assim, por bobagem, ou se Deus te viu arquitetando tudo em sua mente; ainda assim ele te perdoa. Deus é perfeito e em sua perfeição é capaz de perdoar alguém que contou uma mentirinha para não ficar mal frente a um questionamento sobre a combinação de uma roupa ou outro alguém que projetou a morte de alguém simplesmente por sentir prazer no ato. Contraponto!

Fato é que mesmo com muitas dificuldades, somos convidados a perdoar quantas vezes for necessário. Perdoar e voltar a admirar. Perdoar e voltar a olhar nos olhos. Perdoar e caminhar junto. Perdoar por entender que da mesma forma como fomos perdoados, precisamos perdoar. E que da mesma forma que alguém que nos ofendeu precisa de nosso perdão, precisamos loucamente do perdão de Deus.

E folheando um livro esses dias, li um insight bem bacana: Todo homem que perdoa paga um preço enorme – o preço do mal que ele perdoou. (Aluízio A. Silva).

"Se eu quebro um vaso precioso e você me perdoa, você sai perdendo e eu saio livre. Suponha que eu estrague a sua reputação. Para me perdoar você deve aceitar as consequências do meu pecado e deixar que eu fique livre". Exemplifica o autor.

O meu liberar de perdão independe do arrependimento do outro. Porque essa é uma postura minha. E escolher não guardar ressentimentos, mesmo que eu tenha todas as justificativas do mundo, é a verdadeira prova de liberdade. E essa liberdade provem exclusivamente de uma vida com Deus como piloto. Podemos aprender grandes dicas com Ele sobre como perdoar pessoas. Arrisque-se!

Por: Bruna Vichi, 18 anos - estudante de jornalismo

veja também