Época do ensino médio: Melhores anos da vida!

Época do ensino médio: Melhores anos da vida!

Atualizado: Terça-feira, 15 Março de 2011 as 2:31

Você vive dizendo que não vê a hora de fazer 18 anos, ter a sua grana, o seu carro, a sua independência? Pois é bom saber que a fase que vem logo depois do ensino médio é também marcada por um aumento absurdo no número de responsabilidades: é a época de estudar pra valer na faculdade, de garantir um bom emprego, de começar a pagar as suas contas! E aposto que você não tinha pensando nesse "outro lado" de sair da adolescência, não é mesmo? Então, que tal aproveitar a sua realidade como ela é hoje? E se você estiver cursando o ensino médio - ou se estiver prestes a entrar nessa fase - melhor! "Essa está sendo a melhor época da minha vida. É a fase de curtir, sair sempre, namorar... Faculdade é outra história. Quando eu terminar o ensino médio, sei que vou ter de ser bem mais responsável, porque é disso que vai depender todo o meu futuro", diz a leitora Ana Muylaert, de 15 anos, que acabou de passar para o segundo ano. E, se você também quer se divertir o máximo possível durante esse período especial, confira as dicas das leitoras que estão passando por essa fase ou que se formaram e já estão morrendo de saudade do que passou!

A regra é se enturmar, participar de atividades que proporcionem o contato com gente diferente. Além disso, é a época de curtir os meninos, aproveitando as baladinhas para demonstrar seu interesse e chegar mais.

Várias tribos

"Nessa fase, é fácil fazer novas amizades, porque, na maioria dos colégios, rolam muitas atividades em que a galera se encontra. Além disso, como estamos amadurecendo juntos, parece que tudo fica mais intenso", conta Mariana Burali, de 16 anos, que está no segundo ano. O segredo para se dar bem com gente de todo tipo? "É preciso conviver com o defeito do outro, saber que cada um tem o seu modo de pensar e que não existe um jeito certo. Basta que se aceitem do jeito que são", ensina Lara Tuanna, de 15 anos, também do segundo. Fazer a social é bacana, mas é importante saber diferenciar os amigos. Você vai perceber que alguns são ótimos pra estudar, outros pra ir à balada e, claro, aparecerão aqueles em quem você pode realmente confiar. Só não rola se envolver com uma turma-encrenca.

Ficadas, rolos e namoros...

É também nessa época que pintam muitos meninos interessantes e que a gente se sente mais preparada para encarar até um namoro. "Já fiquei com alguns meninos do colégio, mas é complicado. Se você fica com vários meninos, ou com garotos que fazem parte da mesma turma, todo mundo fica sabendo. Depois de uma semana, ninguém mais se lembra. Mas, no começo, pode ser chato", diz Ana. Para Lara, o grande desafio é olhar para a cara do sujeito no dia seguinte, sem saber o que fazer. "O único jeito é agir naturalmente. Se não rolar nada, tem de preservar a amizade", ensina. Se o namoro vingar, é preciso ficar esperta com os intrometidos.

Competição de diversão

É nessa época que muitas escolas organizam campeonatos, para envolver a galera. "Eu participei do torneio de futebol e foi muito legal. Você acaba jogando com gente diferente e faz amizade até sem querer", garante Lara. Quem não curte esporte pode fazer amigos de outro jeito. Cínthia Pinheiro, de 15 anos, que passou para o segundo, encarou as Olimpíadas de Matemática. Iana Cordeiro, de 16, que está no terceiro ano, participou de um concurso de redação, e Tamires Nilith, de 17, que acabou de se formar, fez a farra no campeonato de pebolim. "O importante é fazer o que gosta", diz.

A galera já está enturmada, rola uma amizade forte tanto entre os alunos quanto com os professores. É época de festejar, de inventar atividades para reunir a turma direto.

Festa toda hora

Na escola da Cínthia rola balada todo mês. "Tem festa de Halloween, de aniversário da escola. E é aí que as pessoas se encontram fora do horário das aulas", diz. No colégio da Monique Sorrini, de 17 anos, que acabou de se formar, o barato eram as festas juninas e a feira cultural. Na escola da Mari os agitos são os churrascos, que têm o objetivo de arrecadar grana pra formatura. E, mesmo quem não participa da organização, faz questão de marcar presença. "Acho que é uma das coisas mais legais de estar no ensino médio. Seus pais confiam mais em você e passam a ser mais liberais", diz Iana. É claro que, para garantir passagem livre, é preciso jogar limpo com a família e não descuidar dos estudos. “Pra se dar bem com os pais, o importante é conciliar a diversão e a responsabilidade”, completa Iana.

Professor e amigo

Outra coisa bacana que acontece no ensino médio é que os professores são mais próximos. "Acho que eles ficam mais engraçados e descontraídos no ensino médio. Eles deixam rolar e depois cada um que arque com as consequências do que fez", diz Iana. A Cínthia, por exemplo, ficou tão amiga de um dos seus professores que conversa com ele direto pelo MSN, esperando conselhos e uns toques espertos. "Tenho uma professora que me ajudou a superar umas situações complicadas em casa", lembra Ana. Mas não rola confundir as coisas. Afinal, não é porque o cara é legal que vai dar mais nota, se você não estudar.

Atividades extras

Participar de outras atividades em grupo também é um jeito de se aproximar tanto dos colegas quanto dos professores. “No meu colégio, todas as turmas de 2º ano trabalham com o teatro. Ensaiamos o ano inteiro, corremos atrás de patrocínio, figurino, cenário... e nos divertimos muito apresentando a peça para o resto da escola”, conta Iana. Já a Cínthia decidiu entrar na fanfarra. "A gente faz uns desfiles e eu curto muito!", diz. Esses são alguns exemplos de como mobilizar a turma. Também vale montar uma banda, agitar um curso extra ou um grupo de estudos. O importante é estar perto dos seus amigos.

Esta etapa já começa num clima diferente, porque a galera está pensando no vestibular e na formatura. Além disso, é hora de cultivar as amizades que valem a pena e que vão além do ensino médio.

Formatura pra curtir

A maioria das escolas organiza uma baladinha, mais ou menos tradicional, para marcar a saída dos alunos do ensino médio. E, mesmo se o seu colégio nunca faz nada de muito especial para os formandos, você pode se engajar na preparação da festa. Afinal, você estará encerrando um ciclo importante da sua vida, ao lado de pessoas mais que especiais. E olha só: o bacana não é apenas curtir a festinha, mas se envolver em todos os preparativos até chegar lá. Tipo: pensar no vestido, ajudar a escolher o tipo de som que vai rolar, até escrever ou se habilitar para ler uma homenagem – aos pais ou aos professores, por exemplo - na hora do discurso básico. A leitora Cínthia já embarcou nessa onda e está liderando um movimento entre amigos, para começar a pensar na baladinha e em como vão cobrir esses custos. "É muito interessante liderar, ou pelo menos participar desse tipo de coisa. Dá dor de cabeça, mas você também se envolve mais: acaba deixando a festa com a sua cara", garante.

Best friends forever

"De tudo o que vivi no ensino médio, o que me marcou mais foram as amizades. Agora que não nos veremos mais todos os dias, eu e meus amigos juramos que vamos dar um jeito de manter contato", diz a Monique. A Ana, que ainda está no segundo ano, concorda. "Quando isso aqui acabar, vou sentir falta de muitas coisas, mas principalmente dos amigos de verdade". Para quem ainda está vivendo essa fase, a dica de todas elas é aproveitar cada momento. E cultivar o afeto, a atenção e o carinho, para que eles se prolonguem por muitos anos, mesmo que a turma siga por caminhos diferentes. "Eu achava meio chata essa coisa de ter de ir pra escola todo dia, fazer lição, trabalho, prova... Não via a hora de ir pra casa dormir. Agora que eu terminei o ensino médio, começo a sentir falta de tudo isso, fico pensando que podia ter curtido mais os meus amigos. Esse é o recado mais importante para as leitoras da Atrê: aproveitem muito a turma porque, mesmo que continuem amigos, a vida muda muito e aquela diversão nunca mais será a mesma", avisa. Viu só? Então, bora ser feliz enquanto é tempo!

Por: Rita Trevisan

veja também