Por que alguns rapazes preferem as mais velhas?

Por que alguns rapazes preferem as mais velhas?

Atualizado: Segunda-feira, 26 Setembro de 2011 as 11:23

Na novela da Rede Globo "Fina Estampa", René Junior, personagem adolescente vivido por David Lucas, está sempre marcando encontros pela internet com mulheres com idade bem acima da dele, bonitonas e poderosas. Por mais que, no caso dele, as relações nunca evoluam muito, alguns jovens que também adoram mulheres mais velhas têm mais sucesso em suas empreitadas na busca por uma mulher com vasto leque de experiências para comparrtilhar.

O estudante de animação, Rafael B., de 20 anos, descobriu sua predileção pelas mais velhas durante o colegial. "Não sei se por já conseguir chamar certa atenção, por também parecer mais velho que outros da minha idade", conta. Aos 17, ele namorou uma garota de 23. "Enquanto eu ia pro colégio terminar o ensino médio ela ia trabalhar toda social. Eu achava isso muito legal, me achava ‘o cara’", brinca. Ambos ficaram juntos por dois anos.

Desde então, ele nunca conseguiu sair com mulheres mais novas ou da mesma idade que a dele. "Sempre preferi estar com mulheres maduras e independentes", explica, antes e acrescentar: "cheguei a sair com mulheres com mais de 30 anos e até 40".

O único problema é ter que aturar as chacotas da turma. "Meus amigos sempre levaram na boa, mas rolavam piadinhas falando que eu era cria de uma delas ou que iria virar padrasto do filho de outra", confessa.

Segundo a psicóloga Cecília Zylberstajn, um dos principais problemas neste tipo de relação é a incompatibilidade dos círculos sociais. "Eles não têm facilidade em sair com os amigos do outro", diz. Mas Rafael garante que não passou por este tipo de problema quando teve relacionamento sério com uma mulher de 29 anos recentemente: "eu sempre era o mais novo no meio do povo, mas a relação sempre foi boa com todo mundo."

O estudante de comunicação Marcelo P., que tem 22 anos, está há dois anos com uma mulher de 39. Ele conta que, apesar de hoje os dois estarem bem, no começo, as coisas foram mais complicadas – nenhum dos dois disse a idade certa no primeiro encontro. "Ela disse que tinha 32, e eu que tinha 23", diz.

Cecília explica que uma situação comum a estes tipos de casais é a incongruência de projetos. "Os momentos de vida são incompatíveis. Ele, talvez, queira casar e ter filhos, por exemplo, e ela pode já ter passado por isso", conta. Marcelo corrobora com a opinião da especialista: "a parte mais difícil é imaginar nosso futuro junto. É sempre complicado."

Mas é claro que também existem fatores positivos. "A maturidade e a experiência de vida da minha namorada são muito importantes", pontua Marcelo. "O melhor disso tudo é aprender um milhão de coisas novas com quem já vivenciou certas coisas e pode te passar isso", conta Marcelo.

Para fazer com que tudo funcione, Cecíla aponta um fator primordial: a conversa. "Precisa ter muito diálogo, os dois precisam estar atentos às necessidades do outro. Não é muito diferente de qualquer outro relacionamento, neste sentido". Ela faz apenas uma ressalva: "se você está sofrendo, tendo mais momentos ruins do que bons, talvez o relacionamento não esteja fazendo bem".

Para fazer as coisas darem certo, Marcelo vê bastante importância na maneira de enxergar a relação. "Acho que não pode ter preconceito e medos, principalmente", conta. Romântico, Rafael acredita na força do amor: "Para seguir em um relacionamento como esse basta você gostar da pessoa, a idade no fim das contas é o que menos vai importar se o sentimento for verdadeiro."

veja também