Procura por professores de filosofia cresce em escolas particulares

Filósofos ganham destaque no mercado

Atualizado: Terça-feira, 4 Dezembro de 2012 as 12:43

 

O mercado tem aberto portas para profissionais de diferentes áreas e tem lançado aos estudantes novas opções de escolha em suas carreiras futuras. A nova opção do mercado está voltada para a filosofia e já se fala dela como uma das profissões em maior ascensão.

Desde a obrigatoriedade em 2008, imposta pelo governo federal para incorporar as matérias de filosofia e sociologia no currículo de escolas privadas, que se escuta falar também, na contratação de profissionais mais bem preparados para os cargos. As matérias que antes eram opcionais hoje fazem parte do currículo acadêmico dos alunos da rede privada e são consideradas matérias que contribuem para aumentar o grau de criatividade e leitura, além de ajudá-los a defenderem suas idéias avançando no desempenho pedagógico e cognitivo tanto em filosofia quanto em outras disciplinas.

professor - filosofia

O professor Fábio Mesquita, 33 anos, que dá aulas em dois colégios particulares de São Paulo - São Luís e Sion - conta que optou pela filosofia porque, entre as matérias que preferia no colégio, com essa ele teve menos contato. "Conhecia mais história que filosofia, sou da geração que não teve filosofia no ensino médio. Mas eu achava interessante, ouvi falar nos testes vocacionais, prestei as duas e acabei indo para a filosofia. Adorei o curso, achei fabuloso."

Para o filósofo e professor, o curso de graduação de filosofia se difere dos demais, pois, leva o aluno a pensar e criar seu próprio conhecimento. "Como cada filósofo te explica a realidade de um ponto de vista e, às vezes se contradizem, você é impulsionado pelo pensamento, pela oposição de idéias".

O professor Fábio conta que como a disciplina ainda não é exigida em vestibulares ele pode explorar o incentivo ao pensamento crítico de seus alunos e ensiná-los a enfrentar os problemas com uma visão mais ampla da realidade, o que também os ajuda a tomar decisões úteis para o seu desenvolvimento pessoal através dos argumentos que apresentam nas provas.  

Ainda assim, segundo a Associação dos Professores de Filosofia e Filósofos do Estado de São Paulo (Aproffesp), para chegar a ser um profissional da área de filosofia é preciso ter um gosto maior pelos conteúdos de humanidades em geral, além da necessidade de ter senso crítico e uma disposição para se voltar às superações que envolvem dificuldades nas relações sociais e nos novos paradigmas, além de questionar os valores sociais, econômicos e de classe.

 

Apesar do crescente aparecimento de vagas para professores de filosofia, a relação do filósofo com a busca por soluções dos problemas da sociedade pós-moderna faz com que sua capacitação seja algo além das salas de aula. Nas empresas, por exemplo, busca-se o olhar do filósofo para sugerir soluções, dar palestras e consultorias. "Os filósofos devem mostrar caminhos para as pessoas e mostrar que é possível fazer o que gosta e encontrar um sentido na existência, no trabalho na família. As pessoas ainda buscam esse sentido", diz o professor Fábio.

Tentando criar novos caminhos para que as pessoas e a humanidade enxerguem a realidade de outra forma, a filosofia passa a utilizar um novo conceito de formação e espera que com isso o mercado tenha mais limite e utilize as ferramentas adquiridas nesta graduação para seu verdadeiro objetivo que é ter um olhar diferenciado sobre a realidade e não o contrário.

alunos - filosofia

com informações de : G1

veja também