Sagas literárias conquistam milhões de leitores

Sagas literárias criam novos heróis para essa geração

Atualizado: Terça-feira, 27 Março de 2012 as 2:55

O fim das sagas "Harry Potter" e "Crepúsculo" deixou milhões de leitores à procura de novos ídolos.
Somadas, as obras das escritoras J.K Rowling e Stephenie Meyer venderam mais de 1,2 bilhão de livros.


Mas essa lacuna tem sido preenchida por novas obras, autores e heróis.


O mais "hypado" desses fenômenos literários recentes é "Jogos Vorazes", trilogia da americana Suzanne Collins cujo primeiro volume rendeu um filme homônimo, em cartaz nos cinemas desde sexta.


Para ter ideia do gigantismo da obra de Collins, basta dizer que a saga, iniciada em 2008, está há 163 semanas na lista dos mais vendidos nos EUA. Até agora, foram 30 milhões de exemplares no mundo, dos quais 80 mil no Brasil, onde saiu em 2010.

A autora adaptou o mito, que não deixa de ser trágico e violento, para um mundo pós-apocalíptico, dividido em 13 distritos.


Após uma rebelião do 13º Distrito, o governo resolve destruí-lo e criar um sangrento reality show. Nele, cada um dos 12 distritos remanescentes envia dois jovens para lutarem entre si até que apenas um dos 24 sobreviva.

Mas nem só de mitos gregos e reality shows -nem de bruxos e vampiros- vive a literatura juvenil.
Séries como "Mundo das Tintas" (Companhia das Letras), da alemã Cornélia Funke, e "A Era da Perfeição" (Galera Record), do americano Scott Westerfeld, disputam palmo a palmo uma legião de leitores brasileiros.


Em todos eles, jovens, alguns que recém descobriram ter poderes especiais, são levados a situações de risco.

veja também