Série Romance a Três - parte 2

Série Romance a Três - parte 2

Atualizado: Quarta-feira, 19 Outubro de 2011 as 8:52

Oi gente! Hoje é minha vez! Vou contar a minha parte da história de como eu estava ANTES de conhecer o Rafa.

Bom, resumindo bem resumida a minha história, eu nasci num lar cristão, e sempre fui muito de boa em relação aos meninos, meu jeito "moleca" de ser eu vejo hoje como uma proteção de Deus pra minha vida. Sempre olhei muito pros meninos como amigos, sempre me dei melhor com eles em amizades, então na minha adolescência eu não fazia o tipo gatinha que todo menino queria ficar. Eu era do tipo descolada, que falava com todo mundo, então os meninos gostavam mais de rir comigo do que rir pra mim, ou de me reparar como uma opção de possível paquera. Eu gostava disso.

Mas por pressão de grupo e por más companhias que tive durante certo período da minha adolescência, fiz algumas coisas das quais me arrependo, mas graças a Deus nenhuma delas criou marcas profundas na minha vida, não me amarrei a ninguém, nem tive nenhuma paixão arrebatadora nessa época, só aquelas coisas que vem de repente e vão embora tão de repente quanto vieram.

Nisso, eu sentia o quanto precisava me firmar em Deus, a transição da adolescência pra juventude é uma fase onde, ou você se firma mesmo, ou, se você não cria raízes em Deus, se torna mais difícil ainda se firmar depois. O vigor dessa fase não se compara a nenhuma outra. Decidi direcionar ele para uma decisão importante.  Com 17 anos senti forte o Senhor me chamando pra essa decisão, e fui atender a esse chamado na Argentina. Passei 15 dias lá, em missão, num choque de cultura, ouvindo, sentindo e quase tocando a Deus. Foi mais que uma experiência, mais que uma viagem. Foi um divisor de águas. Lá Deus aprumou meu ministério, clareou meu caminho. Pronto, eu tinha um rumo, uma missão definida, e já alguns detalhes dela (em que área eu deveria me dedicar mais, onde Deus queria me usar e como). Voltei da Argentina menos menina e mais mulher. Lá ficou uma Lenara amedrontada e sem rumo, que escondia isso no seu humor e no seu estilo. Voltou uma Lenara feliz, que sabia que não estava no mundo a passeio e que estava disposta a continuar seguindo a Jesus confiando que Ele estaria no controle.

"Nossa Lê, você não se apaixonava por ninguém? Não tinha meninos interessantes a sua volta? Você é um robô?" Hahaha, tinha sim meninos interessantes no meu caminho, uma porção deles. E eu me apaixonei algumas vezes. Os “nãos” que eu ouvia de Deus, alguns eu compreendia logo depois. Tipo, Deus me mostrava o quanto aquele menino não era pra mim, me fazia enxergar que tava bem longe do melhor de Deus. Outros casos Deus mostrava o quanto EU não estava pronta. Outros eu vim a entender pouco tempo atrás. E assim foi. Tenho uma coleção de "nãos" pra relatar, um mais diferente e engraçado (hoje é engraçado né) do que o outro. Mas posso garantir que o "sim" é mais interessante, então vamos resumir a historia pq eu quero (e acho que vocês também) chegar ate ele logo, haha.

Antes porém, quero deixar aqui um alerta para meninas que se identificam comigo nesse “jeito de ser”. O tal ser amiga de meninos. Muitas vezes, nós meninas achamos que os entendemos muito bem, mas podemos estamos enganadas. Por falta de uma, eu tenho 3 historias de desilusão amorosa das quais eu não queria fazer parte. Meninos que eu gostava muito, dos quais eu me considerava irmã… e que no fim das contas se apaixonaram por mim,  e não foi legal, porque perdi o mais legal que é a amizade. Na verdade, com um deles eu mantenho um contato legal até hoje, ele também está noivo de uma menina bem legal e a amizade foi maior. Mas perdi 2 amigos e causei dor sem querer. O meu erro foi me achar sabichona demais. "ah, mas eu não faço o tipo do fulano, ele me trata como se fosse irmã. Ele me conta de outras meninas." Meninas, posso falar de experiência própria e oro a Deus pra que vocês me dêem ouvidos nisso: VOCES NÃO CONHECEM OS MENINOS TANTO QUANTO PENSAM. Posso confessar uma coisa? Boa parte das minhas boas amizades são meninos pelo seguinte motivo: menino é mais leal, mais desencanado e mais divertido. (princesas do Senhor, me entendam nesse ponto: eu não acho todas as meninas desleais, frescurentas e chatas, tenho lindas e boas amigas, mas vamos admitir: nossos hormônios e manias as vezes nos fazem perder o melhor da vida. Eu sei, porque EU sou menina, tem dias que não me agüento.)

Pois bem, essa afinidade especial com os meninos me fez me achar a dona do pedaço, a que entende de tudo. E deu no que deu. Então minha dica é: vigie mais do que você julga necessário e peça sempre orientação de alguém mais velho quando passar pela sua cabeça que pode estar surgindo algo alem de amizade entre vocês. Mesmo que seja só de um dos lados. Pra vocês terem uma idéia, um desses meus amigos, me chamava de "mãe" tamanha era nossa cumplicidade e confiança um no outro. Esse apelido era um escudo pra mim, eu pensava “ele me chama de mãe, ele não me vê com outros olhos, estou segura” até que um dia veio a bomba, dele me confessar que estava gostando de mim de outra forma e eu não saber o que fazer. Tenso. Então VIGIEM all the time.

Eu tinha uma promessa de Deus pro meu casamento, eu tenho anotado e sei de cor também cada uma delas, cada característica que eu queria que meu esposo tivesse. Como ele deveria ser. Não, eu não estou falando em cor dos olhos. Rasgue a sua listinha que mais parece uma descrição do Ken da Barbie e escreva outra, junto com o Senhor. Eu posso garantir pra você, Deus é detalhista. Ele me deu um noivo que sim, faz meu tipo físico, mas que principalmente corresponde às expectativas que eu tinha em relação a caráter. Regrinha de três: Cerimônia de casamento não é tão importante quanto o casamento em si, certo? Logo, eu me foco em me preparar pra ser uma esposa em potencial e entrego a cerimônia e suas mil preocupações pra Deus. No fim os dois dão super certo, porque eu me foquei no que tinha que me focar. Deu pra entender?

Da mesma forma, você não tem de se preocupar em ir atrás e conquistar alguém que te agrade fisicamente. Pode sim, reparar no que te agrada, Deus não tem mal gosto e não é indiferente em relação a isso, Ele quer e vai te dar o melhor se você andar no caminho. Mas o lance da "conquista" foi desmistificado na minha cabeça quando eu entendi o que era promessa de Deus.

Promessa de Deus é como se fosse uma herança certo? Algo que o Pai deixa pros seus filhos. Você ja viu algum filho tendo que CONQUISTAR, LUTAR por uma herança? Não, ela ta la, se o seu nome ta no documento, ela é sua, por direito. Certo? Quando é então, que uma herança (promessa) de Deus pra você deixa de valer? Resposta: quando esse filho deixa de ser filho. Como? Perdendo sua identidade, vivendo outra vida, escolhendo a morte. Ele pode até tentar requerer a herança que seu pai deixar, mas sem a identidade ele não consegue provar que é filho legítimo. A promessa é pros filhos. Para os que permanecem sendo filhos, tendo seu nome na identidade. "o MEU povo, que se chama pelo MEU nome" quantas vezes você já leu isso? Isso é importante pra Deus, você ser dEle, faz parte do pacote da promessa. Você nao precisa fazer nada pra ter sua herança, você só precisa continuar sendo filho.

Quando eu entendi isso, eu descansei. Meninas, não tenham com vocês nenhum peso de que precisam ir a luta para conquistar homens. Vocês precisam ir a luta para serem quem Deus as chamou pra ser. Seu futuro esposo vai te encontrar e no fim das contas você não vai nem perceber se foi ele que te procurou ou se foi você que o encontrou. A Palavra diz que as bênçãos nos alcançarão e que misericórdia e bondade nos seguirão se andarmos no caminho de Deus. Elas vão nos seguir, serão uma conseqüência do nosso andar com Deus. O seu objetivo não deve ser “encontrar alguém”, seu objetivo deve ser continuar perseverando em seguir a Deus e obedece-lo. A conseqüência vai ser encontrar alguém, saca? Tipo um presente. Gostoso como um presente vindo de um Pai que sabe exatamente do que Sua filha gosta e qual o momento certo para entregá-lo a ela.

O meu presente chegou quando eu achava que não precisava. Eu achava que não faltava nada na minha vida e na verdade, naquela época, eu sentia como se não faltasse. É exatamente aí que eu queria chegar. Tem sido pregado até em igrejas, que se você é solteiro você é incompleto. Mentira. Você não pode ser feliz incompleto. Logo, se eu sou infeliz, jamais conseguiria fazer outra pessoa ("metade") feliz também, certo? Então saiba que você foi feito inteiro, Deus não nos fez meios humanos. Se você esta solteiro hoje, seja inteiramente feliz. E quando você estiver com a pessoa de Deus pra você, vai poder faze-lo sentir inteiro, e ele será feliz com você.

Voltando, eu estava bem com Deus, e não estava afim de me apaixonar. Mesmo. Eu até imaginava como seria que eu ia conhecer meu futuro esposo, como será que ele era e tal. Mas isso parecia que ia acontecer lá pra frente, afinal, eu estava me sentindo completa. Então... (continua)

Leia a parte 1 do texto aqui

Por Pati Geiger

veja também