Seu namoro é importante, mas não é tudo

Seu namoro é importante, mas não é tudo

Atualizado: Quarta-feira, 6 Abril de 2011 as 8:57

Quem não conhece ou nunca conheceu algum casalzinho 'não muito agradável' de conviver? Não que eles sejam desagradáveis, mas que o relacionamento deles tenha ficado chato perante o grupo de amigos.

Ela estava sempre na sua casa, vocês sempre iam ao shopping, ao cinema, enfim, estavam sempre juntas. Ele não perdia o futebol com os amigos e nunca ficava sem dar notícias. De repente eles começaram a namorar e parecem ter sumido do mapa.

Essa narração é realidade na vida de algumas pessoas. Alguns casais, ao começarem a namorar deixam de lado a maioria das atividades que costumavam ter antes do namoro e, por vezes, passam a viver apenas em mundinho exclusivo dos dois.

Mas e o futebol? E o cinema com as amigas? E o almoço em família no domingo? Em entrevista ao GUIA-ME, a psicóloga Lia Honório esclarece qual deve ser a conduta dos jovens casais. "É importante que o casal tenha em mente que existem muitos outros papéis, além de namorado, que temos que desempenhar como o de filho, amigo, aluno, primo, neto, vizinho, enfim, existem muitas outras pessoas e atividades que também requerem nossa participação e investimento. E, apesar do namoro parecer o mais gratificante de todos, não pode se tornar prioridade máxima na vida de um jovem."

Os programas de casal devem acontecer, são normais em qualquer relacionamento, o que não deve acontecer é o casal se fechar em um 'universo particular' e não querer participar de nenhum outro. É isso que afasta os bons e velhos amigos. Além de quase não saírem mais com os amigos, quando saem se fecham e é como se não estivessem com a turma.

Enquanto namoram, alguns casais deixam de lado a velha turma de amigos

"Quando terminam o relacionamento, não tem mais turma de amigos, primos ou grupos em que possam se apoiar, pois nos últimos tempos de dedicavam apenas ao namoro", diz a psicóloga que também realiza palestras para jovens e adolescentes.

Comunidades como 'Amo meu namorado mais que tudo', 'Meu namorado é tudo pra mim' e 'Meu namorado é minha vida' possuem centenas de adeptos no Orkut, mas Lia Honório faz um alerta ao fato de que algumas pessoas transferem toda dependência emocional ao namorado(a) e cria uma carga excessiva de expectativas no namoro. "A verdade é que não podemos responsabilizar o outro pela nossa felicidade", afirma.

O fato é que deixar de viver os bons momentos em família ou na companhia dos amigos para viver única e exclusivamente em função do namoro não parece ser uma boa escolha. A felicidade pode significar dividir seu tempo com o namorado, a família e com os amigos.

"Tentem cumprir todos os outros papéis que você tem em sua vida: não deixem de fazer programas com os seus pais, só com os amigos e parentes. Para se namorar não é preciso parar o mundo e seu dia tem muitas horas pra você distribuir com sabedoria", aconselha a psicóloga.

Por Juliana Simioni

veja também