Stardoll: Rede social dá espaço a jovens estilistas

Stardoll: Rede social dá espaço a jovens estilistas

Atualizado: Quarta-feira, 15 Junho de 2011 as 8:52

Para quem planeja entrar no mundo fashion e ter criações desfilando em lindas modelos nas passarelas, a rede social Stardoll pode ser o começo. "O jovem consegue desenhar as próprias roupas e vender em um bazar dentro do site", explica o representante da rede no Brasil, Marcus Imaizumi. A Stardoll ainda trabalha com réplicas de marcas famosas que os usuários podem usar para vestir as bonecas e fazer as próprias combinações, segundo ele.

A rede surgiu há cinco anos, criada por uma sueca interessada em moda e design e hoje já é a maior rede social do mundo na categoria teen, com 100 milhões de usuários em mais de 200 países. Segundo Marcus, a rede chegou ao Brasil em 2009 e o país já é o 2º com mais usuários cadastrados, atrás apenas dos Estados Unidos. Do total, 91% dos adeptos da Stardoll são meninas e apenas 9% são meninos. A idade média dos integrantes, de acordo com o representante, é 18 anos. "Temos usuários desde os 8 até os 30 anos de idade, mas cerca de 60% têm entre 12 e 18 anos", afirma Marcus.

A Stardoll é um mundo virtual em que meninas e meninos se reúnem para criar cada um a sua versão da "MeDoll", boneca que pode ser quem eles quiserem. O avatar ganha um quarto virtual decorado de acordo com o gosto do usuário. "A rede mistura moda, decoração, beleza e celebridades", enumera Marcus. O usuário pode vestir famosos, organizar festas e utilizar as 60 bilhões de variações da coleção de vestuários, cabelos, maquiagens, acessórios e objetos de decoração para a suíte.

A estudante Isabella Sanches usa a Stardoll há um ano e meio. "Eu adoro moda e quero ser estilista", conta a jovem que só não acessa a rede social aos sábados. Isabella cria os próprios modelos e coloca à venda no bazar da plataforma. "É um começo para quem quer seguir a carreira na moda", diz. Luana Gola também é parte da rede Stardoll, mas ao contrário de Isabella, ela não pretende ser estilista. "Adoro moda, mas não quero seguir isso", diz ela. Mesmo assim, Luana gosta da plataforma e sempre que os afazeres da escola permitem, ela entra na rede para comprar roupas novas e vestir a sua boneca. A jovem descobriu a Stardoll pelas amigas, já usuárias da ferramenta. Segundo Marcus, o marketing viral é o principal artifício de propagada usado pela Stardoll. "Estimamos que cada pessoa traga mais dois novos usuários", explica o representante.

Por trás dos modelos oferecidos pela Stardoll e os gráficos detalhados da plataforma, estão designers, estilistas e técnicos. De acordo com Marcus, o investimento em qualidade de conteúdo é umas das preocupações dos gestores da rede. Com isso, a Stardoll já tem mais de 15 marcas próprias de estilos diferentes reconhecidas por grifes famosas e revistas de moda. "A Stardoll é vista como a grife da rede social", conclui o representante.

Curso mini-estilista

Durante todo o mês de julho, a boutique de costura Love Blankie vai oferecer o curso "Mini Estilista", voltado a crianças e adolescentes em São Paulo. Os alunos aprenderão a operar máquinas de costura e produzirão um projeto por aula.  "Em vez de ficar em casa, no computador ou na frente da televisão, os jovens vão aproveitar as tardes costurando em máquinas de verdade", sugere Fernanda Egydio, proprietária da Love Blankie. Segundo ela, os alunos podem fazer blusas, saias, vestidos, bonecas ou o que escolherem e o material será todo fornecido pela boutique.

O curso tem duração de quatro aulas que podem ser agendadas conforme disponibilidade. Quem preferir também pode formar um grupo de cinco alunos para as aulas. A opção coletiva sai por R$ 150 cada pessoa, com todo o material incluso. Na preferência por aulas individuais o valor é de R$ 600, já com o que será usado nas aulas. O curso acontece entre os dias 1 e 31 de julho, das 8h às 18h.

Informações:

De 1 a 31 de julho/ Seg. à sex - das 9h às 18h

Telefone: (11) 3846-4160 (11) 3846-4160    

Endereço: Rua Domingos Leme, 17, Vila Nova Conceição

veja também