Treineiros testam vestibular em busca de experiência

Treineiros testam vestibular em busca de experiência

Atualizado: Quarta-feira, 14 Setembro de 2011 as 8:55

Nesta época do ano, estudantes de todo Brasil fazem contagem regressiva para encarar o temido vestibular pela primeira vez. Até mesmo quem estudou o ano inteiro a fio fica com os nervos a flor da pele só de pensar nas dezenas de questões que precisam ser respondidas em algumas horas. Existe um grupo que ainda nem sabe muito bem qual profissão vai seguir, mas entra nesta onda para ganhar experiência para os próximos anos: são os treineiros.

Sem terminar o Ensino Médio, os treineiros enfrentam a maratona do vestibular para testar conhecimento, entender a prova e preparar o espírito para o que está por vir. “Fiz a prova da Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular) para conhecê-la melhor e conseguir resultado melhor no ‘vestibular para valer’”, conta a estudante Fernanda Caseiro Talarico.

Em 2008, ainda no cursinho, Fernanda foi treineira e novamente em 2009, nos dois anos fez o teste na Fuvest, o que a ajudou a manter a tranquilidade no vestibular de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) em 2010. “Enquanto todo mundo estava nervoso eu estava bem calma.”

O contato com o vestibular é incentivado em escolas e cursinhos pré-vestibulares para que os estudantes possam sentir qual conteúdo precisa ser mais bem explorado nos estudos. “É diferente se estudar em casa, pois o treineiro consegue identificar qual matéria deve ganhar mais atenção”, afirma o coordenador de vestibular do Anglo, Alberto Nascimento. Fernanda reafirma a ideia de Nascimento. "Percebi que precisava estudar mais Matemática e História. O foco no vestibular era diferente do que eu estava estudando." 

Como ser um treineiro

Grandes vestibulares brasileiros criam uma categoria especial para treineiros e oferecem descontos nas taxas de inscrição que chegam a 50% do valor. A candidatura é feita na mesma época do vestibular tradicional, bastando o candidato informar a especificidade na inscrição.

A Fuvest oferece três carreiras fictícias nas áreas de Humanas, Exatas e Biológicas, cada uma com 300 vagas. No vestibular 2011 foram recebidas 10.808 inscrição. A Fundação Vunesp, responsável pelo vestibular da Unesp (Universidade Estadual Paulista) criou a categoria no último ano e alcançou a marca de 12.375 inscritos. Nas provas de verão está prevista a convocação dos 600 mais bem classificados na 1ª fase. Mesmo quem consiga boas notas não têm a matrícula efetuada. Um boletim é enviado para o candidato informando o desempenho. Mesmo sem essa opção, a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) recebe a inscrição de estudantes que ainda não terminaram o Ensino Médio, eles representam de 6 a 8% dos candidatos no vestibular.

O diretor pedagógico da Oficina do Estudante , Célio Tasinafo, acredita no poder deste “test-drive”. “Ele prepara não só quanto aos conteúdos, mas com relação também às estratégias para a resolução dos vestibulares.” Segundo ele, as provas também geram curiosidade nos vestibulandos. “Há grande interesse com relação a uma prova ‘de verdade’. Eles próprios nos procuram, antes ainda do término do primeiro semestre para saberem sobre as inscrições e sobre as datas das principais provas”, revela.

É por isso que, incentivada por professores e colegas, a estudante do segundo ano do Ensino Médio Samara Bernardo de Barros fará o vestibular da Unicamp e da USP neste ano. “Quero entender principalmente a segunda fase e me preparar para quando for prestar Medicina.”

Fuente: Universia Brasil

veja também