Um Mandamento Esquecido

Um Mandamento Esquecido

Atualizado: Terça-feira, 28 Junho de 2011 as 9:08

Para se viver em sociedade de forma harmoniosa, só é possível mediante a existência de normas e de regras que garantam direitos, deixando claras também as obrigações de cada pessoa no contexto social. Por outro lado, de nada valeria tais preceitos se eles não fossem aceitos, internalizados e observados.

Deus, o arquiteto do universo e seu Criador Supremo, em sua sabedoria infinita, também criou normas para orientar nosso relacionamento com Ele e com as demais pessoas, explicitados no decálogo divino, em Êxodo 20.1 a 17. Falar sobre regra, norma ou regulamento, sei que não cai na simpatia de vocês jovens, em função da fase da vida que vocês atravessam. Nem por isso devemos ou podemos deixar de falar-lhes a respeito delas, vez que elas fazem e farão parte da existência de vocês por toda vida. Seria omissão de nossa parte e soaria como irresponsabilidade para com vocês. Então, vamos lá.

Você já foi traído pela memória? Já foi vítima de algum tipo de esquecimento? Se isso já aconteceu com você, acalme-se. Já aconteceu comigo também e acontece com todas as pessoas, onde quer que elas estejam. Pessoas esquecem a chave na porta..., do lado de fora! Esquecem o ferro de passar roupa ligado. Há quem esqueça a mulher no shopping, na igreja, no cabeleireiro. Os que tiveram a infelicidade de esquecer o filho no carro. Os que esquecem de pagar uma dívida, e por aí vai. Querendo ou não, trata-se de um fenômeno comum que, em maior ou menor grau, ocorre com qualquer pessoa. E é frequente o número de pessoas que se sente incomodado com o problema, saindo à procura de solução. Pesquisas dão conta de que uma alimentação saudável, associada à prática de exercícios físicos regulares, contribui para a ativação da memória.

Chamo sua atenção, agora, meu jovem, para alguns valores ou formas de tratamento que vão se perdendo no tempo: Não faz muito tempo, era hábito os filhos pedirem a bênção aos pais ao se deitarem, ao se levantarem ou ao chegarem em casa. - Sua bênção, meu pai; sua bênção mãe! E os filhos ouviam dos pais a doce correspondência: Deus te abençoe, meu filho! Deus te abençoe, minha filha!

Hoje em dia, são raros os filhos e pais que ainda conservam esse saudável tratamento. Se você é um deles, meus parabéns! Veja só outro detalhe: um abraço, um beijo entre pais e filhos, como demonstração de afeto, era, de certo modo comum em muitas famílias. Lamentavelmente, essa forma de tratamento vem sendo esquecida e abandonada por muitos de nós, como se fosse algo sem importância. Com isso, os relacionamentos vão se tornando frios, mecânicos, circunstanciais e impessoais. Assim, as relações humanas acabam sendo substituídas por relações utilitárias, ou seja, apenas baseadas em interesses pessoais secundários.

Convido a você, agora, a observarmos o que a Bíblia diz sobre o respeito aos pais tanto no Antigo como em o Novo Testamento:

Antigo Testamento: Êx 21.17 - "Quem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, será morto".

Lv 20.9 - "Se um homem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, será morto: amaldiçoou a seu pai ou a sua mãe; o seu sangue cairá sobre ele".

Pv 20.20 - "A quem amaldiçoa a seu pai ou a sua mãe, apagar-se-lhe-á a lâmpada nas mais densas trevas".

Pv 23.22 - "Ouve a teu pai, que te gerou e não desprezes a tua mãe, quando vier a envelhecer".

Pv 30.17 -"O olho que desdenha um pai e despreza a obediência à mãe, que os corvos o arranquem, e as águias o devorem" (Bíblia de Jerusalém).

Veja como era tratado o filho rebelde, em Dt 21.18-21: "Se alguém tiver um filho contumaz e rebelde, que não obedece à voz de seu pai e à de sua mãe e, ainda castigado, não lhes dá ouvidos, pegarão nele seu pai e sua mãe e o levarão aos anciãos da cidade, à sua porta, e lhes dirão: Este nosso filho é rebelde e contumaz, não dá ouvidos à nossa voz: é dissoluto e beberrão. Então todos os homens da sua cidade o apedrejarão, até que morra; assim eliminarás o mal no meio de ti: todo o Israel ouvirá e temerá".

Note que a coisa era feia, não havia moleza para o filho desobediente a pai e mãe.

Vamos ao Novo Testamento: Ef 6.1-3 - "Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isso é justo. Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), PA a que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra".

Cl 3.20 - "Filhos, em tudo obedecei a vossos pais; pois fazê-lo é grato diante do Senhor".

I Tm 5.3-4 - "Honra as viúvas verdadeiramente viúvas. Mas, se alguma viúva tem filhos, ou netos, aprendam primeiro a exercer piedade para com a sua própria casa, e a recompensar os seus progenitores; pois isto é aceitável diante de Deus".

I Tm 5.8 - "Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos de sua própria casa, tem negado a fé, e é pior do que o descrente".

OBSERVE O EXEMPLO PESSOAL DE JESUS, em Lc 2.51-52: - "E desceu com eles para Nazaré; e era-lhes submisso. Sua mãe, porém, guardava todas estas coisas no coração. E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens". Em sua natureza humana, Jesus foi modelo de submissão e de obediência a seus pais, José e Maria.

Ainda nos dias de Jesus, no tempo de seu ministério aqui na terra, alguns filhos fugiam da responsabilidade de honrar os pais e de cuidar deles, mediante um voto que não passava de um truque. Esses filhos diziam: O que eu poderia dar a vocês é Corbã; uma oferta ao Senhor. Assim, procuravam isentar-se do dever moral de cuidar dos pais. Desse modo, após a morte deles, viam a possibilidade de quebrar esse voto, negociando com os sacerdotes a recuperação desse valor ou de parte dele, para suas mãos. Por essa razão, eles foram censurados por Jesus ao substituírem o mandamento de honrar pai e mãe, por uma tradição humana - corbã.

Caríssimos filhos. Honrar pai e mãe não é questão de sentimento - é dever, é obrigação . Seus pais são um presente de Deus para sua vida.

E ATENÇÃO, jovem. Alguém disse assim: Quando você iniciar um namoro, procure observar como o seu namorado(a) trata os pais dele(a)..., (será que isso lhe diz alguma coisa?).

Saiba você, filho(a), mais cedo ou mais tarde seus pais serão tirados de você. Inevitavelmente, ELES IRÃO MORRER! E memórias póstumas não produzem nenhum efeito para quem já morreu. No máximo, pode aliviar o peso da consciência de algum filho com sentimento de culpa.

É triste dizer, mas existe um número considerável de pais institucionalizados, ou seja, que foram segregados ou colocados em asilos, involuntariamente, sob a alegação de que lá eles serão melhores cuidados, etc. Por conta disso, muitos sofrem de transtornos depressivos, sensação de solidão pela exclusão social e sentimento de rejeição decorrente do abandono familiar. Alguém pode dizer: Dá trabalho cuidar de pais idosos, pastor! Eu Contraargumento: Por acaso você não deu trabalho a eles? Devo ressaltar que há casos difíceis nalgumas famílias, pois cada uma tem o seu histórico e sua dinâmica própria, de modo que não tenho a pretensão, nem o direito de fazer juízo sobre o comportamento de ninguém. O que quero, isso sim, é provocar uma séria reflexão nos filhos, entre os quais eu me incluo, à luz do que ensina a Bíblia Sagrada.

Na prática, quando chega a hora de acolher o idoso, que pode ser sua mãe, seu pai, sua sogra, seu sogro, fique atento e observe se a preocupação primeira será com a pessoa do idoso ou com as dificuldades que isso trará. Estamos falando a respeito de Um Mandamento Esquecido: "Honra a teu pai e a tua mãe...". É importante frisar que não é um preceito condicional e também não é meritório. Para obedecê-lo, você não precisa concordar com as idéias de seus pais, nem com seus comportamentos, distanciamentos ou insensibilidades. A Bíblia diz: "Honra a teu pai e atua mãe!".

A Bíblia Sagrada nos apresenta um princípio divino extraído de uma lei natural; A Lei da Semeadura. Paulo, diz assim aos Gálatas 6.7: "Não vos enganeis; de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear; isso também ceifará". O que você, jovem, filho(a), deseja colher no futuro da sua existência? - Depende do que você está plantando, hoje! Pra você que é casado e tem filhos pequenos ou já crescidos, saiba que eles estão vendo como você trata seus pais, os avós deles. Você está servindo de modelo para eles, e é assim que eles irão tratar a você amanhã. Pense nisso!

É preciso resgatar o Pacto Entre as Gerações; os pais cuidam dos filhos - os filhos cuidam dos pais. Existe uma música cantada décadas atrás, pela dupla serteneja Tunico e Tinoco, e Sérgio Reis, entre outros, cuja letra retrata fielmente o que quero dizer a você, observe:

Conheço um velho ditado, que é do tempo dos atrás,

Diz que um pai trata dez filhos, dez filhos não tratam um pai.

Sentindo o peso dos anos, sem poder mais trabalhar,

O velho, peão estradeiro, com seu filho foi morar.

O rapaz era casado e a mulher deu de implicar.

"Você manda o velho embora, se não quiser que eu vá".

E o rapaz, de coração duro, com o velhinho foi falar:

Para o senhor se mudar, meu pai eu vim lhe pedir,

Hoje aqui da minha casa o senhor tem que sair.

Leve este couro de boi que eu acabei de curtir,

Pra lhe servir de coberta aonde o senhor dormir.

O pobre velho, calado, pegou o couro e saiu.

Seu neto de oito anos que aquela cena assistiu

Correu atrás do avô, seu paletó sacudiu,

Metade daquele couro, chorando ele pediu.

O velhinho, comovido, pra não ver o neto chorando

Partiu o coro no meio e pro netinho foi dando.

O menino chegou em casa, seu pai foi lhe perguntando;

Pra que você quer este couro que seu avô ia levando?

Disse o menino ao pai: Um dia vou me casar,

O senhor vai ficar velho e comigo vem morar.

Pode ser que aconteça de nós não se combinar,

Essa metade do couro, vou dar pro senhor levar!

Que Deus nos livre de tamanha desgraça!

Para aqueles que já não tem os pais vivos, convivam com as boas lembranças que a vida guardou. Se, todavia, a consciência lhe acusar a ponto de instalar um sentimento de culpa pelo que deveria ter feito e não o fez, peça perdão e misericórdia a Deus. Agora, para todos vocês que ainda têm os pais vivos, não percam tempo. Celebre a vida com eles, dedicando-lhes tempo, atenção e amor. Ore com eles e declare sua gratidão e admiração. Agindo de forma concreta para honrar aos pais, você será instrumento da bênção de Deus na vida deles. E o Deus fiel, que não pode negar-se a si mesmo, certamente cumprirá em sua vida a bela promessa contida no 5º mandamento: Dará a você vida longa e abençoada. Amém!

Por: Pastor Gilberto Fernandes Coelho

veja também