Uma coisa nova todos os dias. Você acha que consegue?

Uma coisa nova todos os dias. Você acha que consegue?

Atualizado: Sexta-feira, 3 Junho de 2011 as 9:32

Você seria mais feliz se fizesse algo novo todos os dias? Acha que conseguiria? Parece mais fácil do que realmente é. Nem todo mundo consegue lidar bem com mudanças em suas rotinas. Seja por medo de algo dar errado ou por comodidade, sair da zona de conforto, onde você conhece e domina suas tarefas, requer força de vontade e uma boa dose de criatividade.

Pensando em ter um dia a dia mais estimulante, duas amigas decidiram que, todos os dias, durante um ano, fariam algo que nunca tinham feito antes. E criaram um blog para contar tudo. Serão 365 experiências, se conseguirem chegar até o final do projeto, que termina no dia 31 de dezembro deste ano.

A publicitária Steffania Paola, 27, e a fotógrafa e redatora Elisa Mendes, 27, dizem que no início foi bem fácil. "Não tive nenhum problema no primeiro mês porque tinha uma porção de coisas que eu sempre quis fazer. Coisas simples que consegui colocar em prática", revela Steffania. Agora, passados mais de 150 dias, ficou um pouco mais difícil.

Desafio

O caminho encontrado para adicionar mais prazer e alegria à vida diária - fazer coisas novas todos os dias – mostrou-se um verdadeiro desafio. "Com o tempo, as ideias ficam mais escassas. Acho que o fato de ter um compromisso com o blog faz com que eu não desista", confessa Steffania.

As novidades podem ser coisas bem simples e, ao mesmo tempo, inusitadas. Ela e a amiga, mineiras que hoje moram no Rio de Janeiro, decidiram, por exemplo, ir à praia e elogiar todas as pessoas que passavam por elas. Para Elisa, foi o melhor dia do ano até agora. "As pessoas reagem de formas distintas. Tem gente que adora e outras que ignoram." Steffania conta que já fez até malabarismo no farol por causa do projeto do blog.

"Um dos dias em que eu mais fiquei na expectativa foi quando resolvi deixar um bilhete no banheiro da empresa onde trabalho perguntando 'como foi seu dia?'", lembra. Para surpresa de Steffania, duas pessoas responderam.

Para todos

A psicóloga Angelita Corrêa Scardua, mestre em Psicologia Social pela Universidade de São Paulo (USP) e especialista em Psicologia Junguiana pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), afirma que não é preciso ter um blog para se animar e adicionar novidades no dia a dia. Para ela, mudar coisas simples também pode gerar prazer, e não é assim tão complicado. Uma mudança no trajeto de casa para o trabalho em busca de menos trânsito e mais qualidade de vida, escolher restaurantes que normalmente não seriam a primeira opção ou optar por comidas diferentes no restaurante de sempre com o intuito de aguçar o paladar. E daí se você descobrir que não gosta? Pode acabar descobrindo exatamente o contrário.

"Pequenas mudanças, além de trazerem prazer para nossas vidas, são um excelente exercício mental, porque o cérebro é obrigado a aprender a processar essas novas situações", ensina.

Criatividade

Elisa acredita que qualquer pessoa é capaz de pensar em coisas inéditas. "Ter ideias não é tão difícil. O problema muitas vezes é que a produção demanda tempo e dinheiro. Então, não basta pensar em algo. Tem que ser alguma coisa que seja possível no dia a dia", afirma Elisa.

A opinião é controversa. Nara Lemos, 24, que trabalha na área de Recursos Humanos, decidiu, junto com uma amiga, pensar em cinco novidades para cada uma. Não conseguia sair do lugar. "Descobri que é muito difícil deixar a rotina de lado. Depois de um bom tempo, finalmente conseguimos e vamos começar um curso de bordado em breve", diz.

Capacidade de mudar

Angelita Corrêa Scardua se dedica ao estudo da felicidade há quase dez anos. Ela afirma que mudanças simples são viáveis e podem gerar satisfação, mas não a felicidade em si. "Felicidade é um estado afetivo permanente. Não é um momento. Isso é alegria e contentamento. Esses gestos que proporcionam um prazer temporário são estímulos importantes em nossas vidas."

Será que alguém que fez um trabalho de uma forma durante toda a vida consegue se adaptar a mudanças? De acordo com a psicóloga clínica Cristiane Marcelino, é possível. "Sempre conseguimos mudar. Mas o interessado nisso precisa ter consciência de que essa nova condição é necessária em sua vida", explica. Ela diz que o ser humano costuma repetir padrões que lhes foram apresentados e que a quebra destes, em muitos casos, pode ser benéfica.

Grande parte da decisão de mudar vem da motivação diante da vida. A psicóloga Angelita Corrêa Scardua afirma que felicidade não é sinônimo de acomodação. "Felicidade não significa que tudo está bem e, por isso, a pessoa não vai mudar nada. Significa que você consegue ver o lado positivo das cosias. As pessoas felizes também sofrem, mas mesmo nas situações difíceis conseguem ver o melhor e tomar outro rumo. Felicidade é uma forma de encarar a vida", afirma.

Por: Danielle Nordi

veja também