Unesp: estudantes opinam sobre o grau de dificuldade da 1ª fase

Unesp: estudantes opinam sobre o grau de dificuldade da 1ª fase

Atualizado: Segunda-feira, 7 Novembro de 2011 as 8:31

Candidatos que fizeram neste domingo (6) a prova objetiva da primeira fase do vestibular da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em São Paulo, afirmaram que as questões de história foram as que mais exigiram conceitos que não estavam inclusos no enunciado.

“As matérias em que tenho mais dificuldade são matemática e física, mas história pediu coisas muito específicas”, afirmou Gabriela Costa, de 18 anos, que tenta uma vaga em relações públicas.

A estudante disse que ficou nervosa durante a prova “porque é um ano estudando para passar no vestibular”, e afirmou que não teve tempo de resolver todas as questões de física e de matemática. Mas acredita que foi bem. “A prova teve um nível bom para o vestibular, mas não é um absurdo que nem a Fuvest, dava para fazer tranquilo”, disse.

Geraldo Giannetta Júnior, de 18 anos, achou que as questões de exatas exigiram muitos cálculos. “No meu caderno as questões de física e matemática ficaram no final, então achei que faltou pouco tempo para fazer todos os cálculos”, afirmou ele, que considerou a prova “corrida e extensa”.

Jéssica Coelho, de 17 anos, tem mais afinidade com exatas – ela pretende estudar medicina. Para ela, as questões de matemática, física e português eram simples, mas história foi mais difícil. “Não tinha como ler o contexto e achar a resposta, você tinha que saber, se não sabia tinha que chutar ou ir lembrando das aulas”, contou ela.

A estudante, que se forma no ensino médio no fim do ano, afirma estar confiante de pelo menos atingir a nota de corte do curso.

Fabiana Pires, de 18 anos, fez a prova em 2010 e afirmou que, neste ano, o vestibular da Unesp estava mais complicado que no ano anterior. Mesmo assim, ela se disse confiante, apesar de estar mais concentrada na prova da Fuvest. “Amanhã tenho cursinho, já para focar na Fuvest. O Ainda tem mais três semanas pela frente.”

veja também