"UzFíDiDeus": Cristianismo com humor na web-rádio

"UzFíDiDeus": Cristianismo com humor na web-rádio

Atualizado: Segunda-feira, 11 Abril de 2011 as 10:37

Humor Cristão. Isso é possível? Segundo o grupo denominado "UzFídiDeus", sim. Carlos Rossi, Cristiano de Paula e Jorge Augusto são os três cearenses que integram essa equipe e estão inciando pela web-rádio da Igreja Presbiteriana de Fortaleza, um novo projeto, que pretende falar sobre a vida cristã de um jeito muito bem-humorado, de 12h às 14h, todas as quartas-feiras.

Sendo um dos apresentadores do programa, Jorge Augusto falou com exclusividade para o Guia-me sobre o novo trabalho do trio. Temas como valorização do humorista cristão, equilíbrio entre seriedade e humor e a responsabilidade que o grupo carrega foram alguns dos temas abordados nesse bate-papo.

Confira a entrevista na íntegra:

Guia-me: Quem teve a ideia de fazer um projeto de rádio como esse - com enfoque humorístico na vida cristã?

Jorge Augusto: Esse projeto nasceu com ideias nossas (minhas, do Carlos Rossi e do Cristiano). Temos pensado muito em um programa diferente. Queríamos unir a comédia cearense - porque todo cearense tem uma veia de comédia - aos assuntos do cristianismo, mas o que estava estruturado ainda era algo "precário". Nos organizamos e hoje temos as nossas pautas, bem bonitinhas, para fazer um programa que tenha a nossa cara. Essa ideia nasceu há muito tempo, mas agora estamos conseguindo colocar em prática de uma maneira bem legal. Já no primeiro programa tivemos uma repercussão incrível e por aí vai... tem muita coisa pela frente.

Guia-me: Você falou que o cearense tem uma veia humorística / artística. Você acha que isso tem sido respeitado dentro da igreja evangélica cearense de forma geral ou não?

Jorge: Eu acho que precisa ser mais valorizado. As igrejas normalmente vêem uma pessoa que é comediante, que é muito engraçada, principalmente na realidade de igreja - eu que viajei para vários outros estados - como alguém de pouca credibilidade e, na verdade pode ser a pessoa que tenha mais potencial para trabalhar. Eu acho que isso precisa ser valorizado, principalmente aqui em Fortaleza (CE). É preciso valorizar essa galera que gosta de uma gente engraçada - lógico que dentro de um limite, porque o humor também pode ser feito de palavras torpes. Então é meio complicado a gente trazer isso para o meio cristão, mas a gente quer ser diferente... com uma brincadeira saudável, É possível brincar sem falar uma palavra um pouco mais forte, sem dar duplo sentido às coisas. Na minha opinião isso ainda é pouco valorizado e esse nosso trabalho está aqui para mudar esse quadro, esse rótulo que colocaram no cristão: que crente tem que ser só o "senta e levanta", que não pode brincar. A alegria vem de Deus e dá para conseguir brincar com saúde.

Guia-me: Você também contou que teve uma repercussão muito boa, com comentários nas redes sociais de vocês, vindos de pessoas do Rio de Janeiro, por exemplo e até mesmo da Inglaterra. Vocês esperavam que tivesse um resultado assim, logo na primeira edição?

Jorge: A gente não esperava, imaginava o nosso público mais limitado à nossa igreja local, esperava retorno pelas redes sociais, mas nada a esse ponto. Esse processo é muito engraçado, porque as pessoas não somente nos ouvem, mas também nos assistem pela webcam que instalamos no estúdio. Então é possível ouvir e assistir os apresentadores ao mesmo tempo. É uma web-rádio com twitcam. Quando começou o programa, o público foi acessando, vimos outras igrejas daqui de Fortaleza também entrando e, nesse horário, os acessos que a nossa web-rádio já tinha, triplicaram. Então teve gente de Angra dos Reis, de Curitiba, de Brasília, de Goiânia, cidades próximas de Goiânia, Estados Unidos, Inglaterra. Eu vejo que a proposta deu certo e veio para ficar. A nossa ideia é alcançar ainda mais, se Deus quiser.

Guia-me: Ao assistir o programa, o internauta percebe que vocês têm os momentos de brincadeira, mas também têm a hora da reflexão bíblica e até mesmo de debates sobre assuntos relevantes socialmente, por exemplo. Como é feito o equilíbrio entre a brincadeira e a seriedade do programa?

Jorge: Trazemos assuntos que não chegam a ser "polêmicos" sempre, mas sim que fazem parte da nossa realidade, para dentro da Igreja. O nosso primeiro tema, por exemplo foi sobre "Prenconceitos dentro da Igreja" e depois a gente expandiu para o preconceito em outros setores sociais. Nós temos uma brincadeira, de coisas bem da nossa terra, mas como vai se falar sobre temas do meio cristão, tem que levar a história também a sério. Então pega-se um tema e trabalha-se em cima dele. É lógico que durante esse tempo, esse bate-papo, sempre sai alguma expressão engraçada ou coisa parecida, que a gente trata de brincar um pouquinho, para manter o nível do programa, mas logo tudo já volta para a seriedade do assunto. Começamos entrevistando pastores e membros da nossa igreja local, mas também queremos conversar com pessoas de outras igrejas e até mesmo artistas cristãos que estejam passando por Fortaleza, leva-los para o nosso estúdio e conseguir trabalhar esses temas junto com eles, por que não? Buscamos equilibrar. Logicamente, a proposta é que seja um programa de humor, e é preciso aproveitar e brincar mesmo. Eu acho que estamos é precisando rir mais do que chorar nesse mundo tão trágico de hoje em dia. Mas não podemos deixar de falar sério em alguns momentos, porque a nossa ideia é de passar uma visão, uma mensagem, tirar dúvidas, principalmente dos jovens, que são um público que assiste tanto ao nosso programa. Queremos mostrar para o jovem que dá para falar sério e também para brincar.

Guia-me: Você lembrou que os jovens integram grande parte do público de vocês. Como vocês encaram a responsabilidade de falar para pessoas que ainda estão em fase de formação de caráter e conduta, ainda mais dentro da vida cristã?

Jorge: O peso é muito grande. Mas nós temos sempre profissionais cristãos com a gente, que lidam com jovens e também que lidam com os assuntos que vão ser debatidos alí. Nós também somos jovens e debatemos temas que até chegam a ser também as nossas dúvidas, então essas conversas também são para aprendermos mais. Nisso estamos nos confrontando também. É lógico que temos que ser exemplo. A gente está alí na rádio para trazer uma palavra boa, de carinho, de amor, de alegria, mas muitas vezes também é difícil tratar de certos temas. O legal é sempre pensar estamos alí para aprender.

Guia-me: Quais são as ferramentas que vocês usam para interagir com o público?

Jorge: Temos o nosso perfil no Facebook, tem o Twitter, o LiveStream (Twitcam) - lá também tem um chat próprio do site -, MSN, mas atualmente a intenção é se concentrar mais no Twitter, porque é o que as pessoas estão usando mais e é mais fácil de mexer. Isso tem sido uma ferramenta incrível.

Para saber mais sobre o grupo "UzFiDeDeus" e a web-rádio da Igreja Presbiteriana de Fortaleza, acesse: http://www.webradioipf.blogspot.com/ ou intereja com eles pelo Twitter @webradioipf (http://twitter.com/webradioipf ); @uzfidideus (http://twitter.com/uzfidideus ).

Por João Neto - www.guiame.com.br

veja também