Você está sabotando o seu relacionamento?

Você está sabotando o seu relacionamento?

Atualizado: Quarta-feira, 23 Fevereiro de 2011 as 9:31

Depois de quatro décadas estudando casais, a expert em relacionamento Randi Gunther, autora de Relationship Saboteurs, identificou os comportamentos femininos mais comuns - e aparentemente inocentes - que são capazes de acabar com qualquer relacionamento amoroso. Segundo Gunther, é possível compreender e se livrar destes comportamentos.

Saiba quais são eles e descubra estão atrapalha a sua vida amorosa

Você é insegura?

Quem sofre com esse tipo de vulnerabilidade acaba jogando nas costas do parceiro a árdua tarefa de mantê-las longe das incertezas. Ou seja, sobra para o parceiro a missão de provar a todo momento que está apaixonado e é digno de confiança. Com o tempo, seu parceiro passa a se sentir inútil na tarefa de convencê-la de que a ama. Para reverter a situação, faça o exercício da lógica contrária: em vez de ficar pensando em todas as desgraças que podem acometer seu namoro, foque nos fatos que reforcem sua crença de que dará certo.

Dica: sempre que baterem os cinco minutos de insegurança, lembre-se do dia em que seu querido fez uma surpresa ou quando se declarou na frente dos amigos.

Você gosta das coisas do seu jeito?

É muito confortável poder definir todos os planos e fazê-los casar com suas expectativas, não é mesmo? O problema é que, em um namoro ou casamento, são os sonhos e as esperanças de duas pessoas que estão em jogo. Por isso que, em um relacionamento em que apenas um tem o controle, a tendência é que o outro se sinta sufocado e desista. A verdade é que ninguém aguenta um pequeno ditador ao lado.

Dica: preste atenção se anda exigindo demais do seu parceiro, querendo que ele vista gravatas de sua cor predileta ou se comporte da maneira como julga mais adequada só por capricho.

Você faz tudo pelo parceiro?

Você se responsabiliza pelas compras para a casa do seu amor, troca de carro no dia do rodízio dele e abre mão de suas prioridades em prol das da cara-metade? Saiba que esses favores estão sendo anotados e serão cobrados. Sim, porque não é justo você se dedicar e não receber nada em troca, certo? O grande problema é que, quando se comporta dessa maneira, há grandes chances de atrair caras com perfil desapegado, do tipo que não se sujeita a cobranças. Resultado: você assume o papel de coitada e ele de aproveitador.

Dica: vale mais a pena jogar limpo e expor suas reais expectativas. Até porque o outro necessita saber se dará conta do recado ou se está interessado.

Você tem medo de se entregar?

Mesmo quando você está nadando em uma maré de sorte, vive morrendo de medo de um tsunami atingi-la. Talvez não perceba, mas esse é um dos principais sinais de pessimismo. A ironia é que, provavelmente, atraia homens que são um poço de otimismo e tomam como missão pessoal o desafio de inspirá-la a ter mais esperança. O problema? Como resiste a se abrir à felicidade, você degrada a sua energia e a dele. Em breve, o moço sente que paralisou a própria vida por causa do medo alheio e acaba querendo navegar outros oceanos... O meio mais fácil de combater sua falta de fé na felicidade é trabalhar arduamente por ela.

Dica: o ideal é que haja prática, investimento e suor na testa para que as dúvidas diminuam.

Você gosta de ser ouvida - sempre?

Está presente em todas as festas e é a rainha dos papos? Aonde quer que vá, vira o foco da atenção e ama ser tão querida? Cuidado! Não querer dividir o holofote pode ser muito frustrante para o seu namorado, já que ele espera que você seja capaz de ouvi-lo, apoiá-lo e, claro, deixá-lo brilhar de vez em quando.

Dica: segure a onda e deixe o moço falar.

Você é inocente?

Um colega mandou um e-mail cheio de segundas intenções, mas você nunca contou ao seu namorado sobre ele. De repente, o moço descobre e... o estrago está feito. Seu jeito inocente pode esconder dificuldade em lidar com falhas. Normalmente, você não enxerga onde pisou na bola, mas tenta se explicar e pede desculpas para acabar com o assunto. Continua sem encarar o erro nem trabalhar para evitá-lo. Aí, não há perdão que dê jeito.

Em vez de ficar pensando em todas as desgraças que podem acometer seu namoro, foque nos fatos que reforcem sua crença de que dará certo

7 passos para exterminar comportamentos sabotadores

É possível compreender e se livrar de um comportamento sabotador. Descubra como:

Passo 1: observe seu comportamento sem julgamentos. É importante não procurar justificá-los imediatamente quando os reconhecer. Sua missão aqui é apenas anotar fatos, por mais assustadores ou reveladores que sejam.

Passo 2: resgate experiências que possam ajudá-la a descobrir de onde surgem suas encanações. É preciso saber se sua insegurança é fruto de alguma questão mal resolvida com seu corpo, um trauma ou se aprendeu ser assim observando sua mãe ou irmã.

Passo 3: identifique tudo que aciona esses comportamentos, assim poderá antecipá-los e neutralizá-los. Se chegar à conclusão, por exemplo, de que em eventos sociais você sempre quer atrair todos os holofotes, prepare-se antes deles, esforçando-se para vestir uma roupa menos chamativa, deixando que todos tenham espaço para falar em uma roda de amigos etc.

Passo 4: entenda os momentos em que está mais suscetível a se comportar desse jeito (durante a TPM, quando fica um mês sem transar etc.). Questione seu bem-estar mental, sua vida sexual, sua fé, emoções... Estar conectada com o que sente aumentará seu autocontrole.

Passo 5: procure um comportamento saudável para substituir o antigo. A ideia é criar cartilhas de como responder a determinados estímulos e as repita até que se tornem naturais. Por exemplo: se você se sacrifica por todos na esperança de obter mais carinho e sempre acaba frustrada, experimente contar ao parceiro suas carências e expectativas. Assim, vai obtê-las de um modo maduro e satisfatório.

Passo 6: lembre-se de que está tentando melhorar sua personalidade. Embora seja um movimento positivo, ele pode deixá-la sem referencial e um tanto confusa. Procure uma amiga para ajudá-la a aguentar todas as etapas, inclusive sinalizando os momentos em que estiver fora de foco.

Passo 7: o sétimo passo é o da manutenção. Se chegou até aqui, significa que já mudou muito e precisa apenas se disciplinar para repetir os comportamentos que quer ter e para continuar evoluindo. Com o tempo, a missão vai ficar cada vez mais leve e natural. Boa sorte!

Por: Paula Brandão Sereno

veja também