Encerrada votação, usuários do Facebook não poderão mais participar de decisões do site

Novas Regras para Facebook

Atualizado: Terça-feira, 11 Dezembro de 2012 as 11:18

 

Após oito dias de votação, o Facebook encerou ontem (10) sua votação para apurar a opinião dos usuários sobre as novas políticas de privacidade em relação ao compartilhamento de dados pelos usuários do site e obteve resultado positivo para os administradores que agora poderão fazer alterações sem a necessidade de consulta.

facebook pagina

A votação foi encerrada na noite de ontem, às 18hs, no horário de Brasília, e atingiu um número de cerca de 660 mil participantes na iniciativa que representam apenas 0,66% do total de usuários e destes, 88% se manifestaram contra a mudança proposta pela empresa.

Mesmo com 668.872 das opiniões sendo contrárias às propostas do site, o Facebook ganhou a 'passe- livre' para alterar as políticas de privacidade do serviço sem consultar os usuários e isso foi graças ao número de pessoas que não participou da votação. Para que a rede fosse obrigada a acatar a decisão do voto popular era necessário que no mínimo 30% de seus usuários participassem da votação e que fossem contra a as mudanças propostas para que essa medida não fosse tomada.

As mudanças foram propostas pelas duas divisões jurídicas globais da empresa, estabelecidas nos Estados Unidos e na Irlanda e entre as medidas iniciais que a empresa deve adotar estão o cruzamento de dados das contas no Facebook e no Instagram de um mesmo usuário e o fim do sistema de votos além do possível repasse de informações de usuários para empresas terceiras.

Os documentos que definem todas essas mudanças já foram apresentados aos usuários da rede entre os dias 21 e 28 de novembro e na prática, votações como a que se encerrou nesta segunda, não ocorreram novamente. Ainda assim o site se precaveu em contratar uma empresa externa e independente para fazer a audição do pleito e fugir de possíveis suspeitas de fraude.

Para que os usuários entendam melhor todas essas mudanças vamos explicar como funcionava a antiga política do Facebook:

  •     Anteriormente, as mudanças que ocorriam no serviço da rede como novas regras de privacidade, por exemplo, costumavam ser avaliadas por seus usuários por meio de votação.
  •     No antigo modelo, todas as mudanças ficam abertas para discussão por sete dias. Caso as propostas recebessem mais de 7 000 comentários dos usuários, o Facebook abria uma votação para consultá-los sobre a novidade.
  •    Para que uma votação tivesse valor, era preciso que, pelo menos, 30% dos usuários participem da consulta – o que nunca aconteceu.
  •    Uma consulta realizada em junho do ano passado sobre os direitos e deveres dos usuários de serviços, atraiu 342 mil usuários o que representava apenas 0, 038% da população da rede social da época.

 

“Essa provisão é padrão no setor e promove o uso eficiente e efetivo dos serviços fornecidos pelo Facebook e suas afiliadas”, diz o comunicado da empresa em relação ao compartilhamento de dados dos usuários com outras empresas.

 

Acredita-se que a pequena porcentagem de usuário participante de votação no site seja devido ao fato de que o Facebook divulgava de forma tímida essas informações que agora não serão mais necessárias aos internautas já que o site não precisa de voto popular para fazer suas alterações na rede.

instagram - facebook

O próximo passo da rede será a possível compra dos serviços de anúncios Atlas Solutions que representaria a entrada definitiva do Facebook no mercado de publicidade, para concorrer com o DoubleClick, do Google. O site ainda está conversando com a Microsoft sobre o assunto é o que garante o site All Things D, baseado em "fontes próximas à negociação”, mas, ambas as empresas preferiram não comentar o rumor.

Resta aos usuários do site apensas aguardar e torcer para que as novas mudanças sejam favoráveis.

 
 
 
com informações de: Abril / Veja / Folha

veja também