"A paz" versão "style"

"A paz" versão "style"

Atualizado: Quarta-feira, 4 Maio de 2011 as 9:31

No nosso idioma, as pessoas chamavam as outras de "vossa mercê", depois "vós sunsê"; o tempo se passou e o tratamento evoluiu para "vós missê", marcante em novelas de época. Porém, o tempo foi passando, as pessoas foram ficando mais apressadas e aumentaram a agilidade no falar, então passaram a chamar "você".

Hoje, nesses dias modernos, nos quais tudo se torna mais prático e ágil, em muitas regiões os jovens já chamam os outros de "ocê", "cê", e não faço a mínima idéia sobre o que mais irão inventar.Nas igrejas, o tão religioso "irmão" também sofreu alterações, ou diríamos modernizações? Hoje, os jovens cristãos se chamam de "mano", "brother", "cara", etc.

No dia-a-dia, a educada pergunta "como vós missê se encontra?", se transformou em "como vai?", "tudo bem?", "tudo em cima?", tudo em ordem?", "beleza?"; e, claro, os jovens estão cada vez mais economizando tempo, passam muitas vezes correndo pelo outro e só gritam: "belê?".Até aqui, nenhum problema, está tudo certo.

O tempo passa, as coisas mudam e os tratamentos acompanham isso. Gírias novas surgem a cada semana em inúmeros lugares desse país. Talvez as formas de tratamento que citei acima, como possivelmente sendo "modernas", já sejam antiquadas para alguns dos meus leitores.

Mas, isto é normal!Entretanto, infelizmente, vejo algo negativo no que vou compartilhar com você a partir de agora. Existe um tratamento bíblico, correto e poderoso, o qual vai além de apresentar uma boa educação, ele faz parte do congregar, do ser família cristã, do amar o próximo e se importar com ele.

O bom e, nunca velho, "a paz do Senhor" ou "graça e paz".O apóstolo Paulo começava suas epístolas com essa saudação. Até quando escreveu para o jovem Timóteo, ele iniciou com essa saudação no segundo versículo de ambas as cartas.

Muitos jovens, nas igrejas, agem como os mundanos. Passam e cumprimentam os outros só para exibir simpatia e educação, quando se trata do sexo oposto, tem que ter o, ou os, depende da região, beijinhos nas bochechas. Nada de errado em ser simpático e educado. Mas precisamos cair na real que talvez 99% das vezes que perguntamos: "tudo bem?", beleza?", não estamos nenhum pouco interessados na resposta, então seriam melhor apenas dizer "oi", "olá", "fala véi", etc.

O problema não é este, o que considero grave, e é mesmo, é que não temos consciência do poder que há na saudação bíblica: "graça e paz", "a paz do Senhor".Em Mateus 10.13, Jesus ensinou aos discípulos como saudar os outros.

Ele disse que quando chegasse numa casa, declarassem "paz" para eles, caso não recebessem, a "paz" declara voltaria para eles. O que isto me ensina? Que há poder no que eu falo com entendimento do que eu estou falando. A saudação "a paz do Senhor" é muito mais do que sua versão moderna, ou style: "beleza?" significa, que ela libera a paz de Deus sobre as pessoas.

Quantos jovens não estão angustiados, depressivos, desesperados ou simplesmente tristes por alguma situação, e em vez de realmente você SE IMPORTAR e declarar com fé no seu coração a paz de Deus sobre a vida dele, para não pagar mico, você só diz "belê?".

Paremos com isto! A Bíblia nunca será antiquada, não nos envergonhemos do Evangelho, Ele é poder de Deus. Declare "a paz do Senhor", "graça e paz", e as pessoas ao seu redor poderão ser realmente atingidas pelas suas palavras. A forma de tratamento cristã nunca deixará de ser a "da hora".

Por: Perilo Borba - professor do Rhema Brasil, jornalista e autor de livros voltados para jovens e adolescentes

veja também