Agindo como Jonas?

Agindo como Jonas?

Atualizado: Quinta-feira, 10 Novembro de 2011 as 11:31

“Certo dia, o SENHOR Deus disse a Jonas, filho de Amitai: - Apronte-se, vá à grande cidade de Nínive e pregue contra ela, porque a maldade daquela gente chegou aos meus ouvidos. Jonas se aprontou, mas fugiu do SENHOR, indo na direção contrária. Ele desceu a Jope e ali encontrou um navio que estava de saída para Társis. Pagou a passagem e embarcou a fim de viajar com os marinheiros para Társis, para fugir do SENHOR.” (Jn 1:1-3 NTLH)

Reparem que o Senhor tinha dado uma ordem a Jonas. Ele por sua vez tinha a escolha, o livre arbítrio de ir para Nínive ou fugir. O ser humano hoje em dia, encontra dificuldades em aceitar a soberania de Deus em sua vida. Ele tenta fazer do seu próprio jeito, seguir seu próprio caminho e tomar sua decisão da maneira que achar melhor. Precisamos entender que nada acontece no universo sem a permissão ou a aprovação do Pai. Procuro enfatizar essa parte, porque Deus permite que as coisas aconteçam, mesmo que, contrárias à sua vontade, mas isso não quer dizer que ele as aprova. Essa é a vontade permissiva do Senhor.

Jonas decidiu escolher fazer da sua maneira e ir contra a vontade de Deus. Ele fugiu e pensou que o Senhor iria se esquecer da ordem que tinha dado a ele. Só que o Deus que dá a ordem, espera que possamos cumpri-la. Jonas não só deixou de cumprir o que Deus havia ordenado, como fugiu tentando se esconder do Senhor. Ele não ouviu a voz do Deus Onipotente! O Senhor fez com que o mar se agitasse, viessem fortes ventos e uma tempestade violenta então começou a cair. Jonas não estava nem aí, ele dormia! Então o capitão o acordou e ficou estarrecido diante da sua tranqüilidade quanto ao que estava acontecendo e pediu que Jonas orasse ao seu Deus afim de que Ele tivesse piedade deles e não os deixassem morrer.

Então os marinheiros ficaram com medo e clamavam cada um da sua maneira ao seu deus. Eles jogaram cargas ao mar para ver se o navio ficaria mais leve e não afundasse. Só que não adiantou. Então eles jogaram sorte e o nome de Jonas foi o premiado. Jonas antes havia lhes confessado que fugia do Senhor e os marinheiros perguntaram o que foi que ele havia feito contra Deus. Com o passar do tempo o mar cada vez mais se agitava e então os marinheiros perguntaram a Jonas o que eles teriam que fazer para que o mar se acalmasse. Jonas pediu que eles o jogassem no mar, pois só assim a tempestade cessaria e o mar iria se acalmar. Mas ao invés disso eles tentaram remar e fazer da sua própria maneira, evitando assim jogar o desobediente Jonas ao mar. Não adiantou outra vez e o mar ficou ainda mais violento. Então eles clamaram a Deus pedindo que não os deixasse morrer por tirar a vida daquele homem e que não os culpasse por tirar a vida de um inocente. Eles então jogaram Jonas no mar enfurecido e no mesmo instante ele se acalmou. Quando perceberam o que havia acontecido, os marinheiros adoraram ao Senhor e ofereceram-lhe sacrifícios e fizeram votos ao Pai.  Um grande peixe veio e engoliu Jonas que passou três dias e três noites em seu ventre.

Como minha mãe sempre diz: Toda desobediência gera uma conseqüência!     Embora o profeta Jonas tenha tentado fugir de Deus, o Senhor estava no controle de todas as coisas. Ao dominar o mar tempestuoso e um grande peixe, Deus revelou que possui o absoluto controle, porém, o exerce com amor. Ao invés de fugir de Deus, confie a Ele o seu passado, presente e futuro. Dizer-lhe não nos leva rapidamente ao desastre, ao passo que, dizer-lhe sim proporciona-nos um novo entendimento de Deus e de seu propósito no mundo.

Jonas foi desobediente. Ele não ouviu a voz de Deus. Quantas vezes fazemos como Jonas e preferimos não ouvir a voz de Deus e fazer tudo do nosso jeito? O Senhor fala conosco e pede obediência e fidelidade a Ele.

Será que estamos fazendo da maneira certa ou estamos agindo como Jonas?

Pense nisso, obedecer é melhor do que sacrificar!

Por Diego Barros

veja também