Amizade tortuosa

Amizade tortuosa

Atualizado: Quarta-feira, 14 Novembro de 2012 as 1:21

 

Como já dissemos nos artigos anteriores, nos mudamos para uma fazenda no interior do estado de Minas Gerais. É incrível como através dos bichos e da natureza, podemos aprender mais de Deus e do que Ele tem pra nós.
 
E não é que vamos novamente falar do Fox. Já contamos que ele é um animal super carinhoso e fiel, e bem peraltinha, até porque é apenas um filhote de um aninho. Mas suas bagunças são bem tranquilas e ele é muito obediente.
 
Por esses dias apareceu aqui uma cadelinha. Não sabemos seu nome e nem a quem pertence, e está conosco até ser achada por seu dono. Vamos chamá-la de Tombinha (já que ela é uma adorável “tomba lata” rsrsrsrs). Olha os dois aí na foto do artigo...
 
Com a chegada de Tombinha, Fox se transformou. Está mais corajoso, mais arteiro e até desobediente em alguns momentos. A Companhia dela o fez se encorajar para coisas boas, mas também para coisas ruins.
 
 
Começamos então a analisar que isso também acontece conosco, em nossa vida com o Pai, e na nossa espera. Quantas coisas erradas fizemos em nossa vida, e que não teríamos tido coragem se não estivéssemos com algum amigo ou em uma turma?
 
Você está esperando no Senhor e vem aquele abençoado te convidar para uma balada, te dá mil conselhos mundanos, dizendo que fulano é “a fim” de você, que você é jovem e linda (o) para ficar assim sem ninguém, etc.
 
O pior é que muita gente fica com a famosa pulga atrás da orelha. Muitos inclusive se deixam vencer durante o árduo caminho da espera. É como diz o ditado: pra atrapalha sempre aparece um monte de gente.
 
Mas o que fazer? Evitar essas pessoas? Se afastar? A bíblia nos diz que não devemos fazer acepção de pessoas, e sim conviver e tratar a todas da mesma forma. Até porque precisamos conviver com amigos do mundo, para que possamos através de nossa vida e testemunho, trazê-los para Cristo.
 
Se estivermos na balada, cada dia ficando com um, se comportando como eles, que diferença irão ver em nós? Essa é a grande estratégia do Pai, conviver com o mundo, mas sem se render a ele. Ou seja, ser amigo do baladeiro, mas sem ir com ele para a balada. Ser amigo daquele carinha que pega todas, mostrando pra ele que você é diferente, e que crê que o Senhor tem um relacionamento abençoado para sua vida. E sua escolha é esperar pelo melhor do Pai.
 
Devemos amar o pecador, mas jamais o pecado.
 
“Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende,
mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento”
(Lucas 15:7)
 
Quando temos convivência com esses amigos do mundo, mais reta precisa ser nossa vida.
Precisamos estar sempre em oração e buscando o direcionamento de Deus, para que sejamos instrumentos Dele para o alcance dessas vidas.
 
Não deixe de ter ao seu lado pessoas abençodas, que te amparem e te ajudem em sua caminhada com Cristo. Quantas vezes o Senhor usa uma de nós para fortalecer a outra. Nós servimos um Deus de relacionamentos.
 
E para finalizar, queremos dar uma dica para que sejamos benção e fortalecidos diariamente: “Ande sempre com alguém mais de Deus do que você”. Ele jamais te aconselhará fora da Palavra, não te tentará, mas com certeza será usado pelo Pai para te ajudar na caminhada da fé e da espera.
 
"A boa reputação vale mais que grandes riquezas; desfrutar de boa estima vale mais que prata e ouro." Provérbios 22:1
 
 
por Bruna e Rhanúsia
 

veja também