As pressões da vida e as minhas escolhas

As pressões da vida e as minhas escolhas

Atualizado: Sexta-feira, 18 Novembro de 2011 as 4:06

'Daniel, contudo, decidiu não se tornar impuro com a comida e com o vinho do rei, e pediu ao chefe dos oficiais permissão para se abster deles.' (Daniel 1.8)

Durante o cativeiro babilônico Daniel e seus amigos passavam por um treinamento de três anos cuja finalidade seria transformá-los em babilônicos. Isso significava que eles vivam em uma nova terra e agora deveriam ter novos costumes, novas idéias e uma nova língua.

Receberam novos nomes: Belsazar, Sadraque, Mesaque e Abede-nego; e aprenderam a nova língua. Mas, contrariar as leis de Deus?. Isso seria complicado.

A comida do rei era esplendorosa, porém imprópria para os abstinentes, além de ser dedicada aos ídolos. E era essa comida que deveriam comer durante esse período. Para muitos essa ordem seria como um grande privilégio, uma grande oportunidade. Para os quatro, era um problema e uma grande cilada para pecarem contra Deus.

E agora? Deveriam se conformar e obedecer à ordem do rei da Babilônia? Imagine o tamanho da pressão que estavam enfrentando. Como é possível resistir às pressões que forçam o povo de Deus a se conformarem com o mundo?

De acordo com Romanos 12:1 e 2, os 'conformados' são aqueles cuja vida é controlada pelas pressões exteriores; enquanto os “transformadores” são aqueles cuja vida é controlada pelo poder interior: Cristo. Daniel e seus três amigos eram transformadores. Ao invés de sofrerem mudanças, eles as realizavam.

Para vencer essa pressão todo o nosso coração deve pertencer a Deus.

“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida” (Pv. 4.23). Um coração que ama ao Senhor não tem dificuldade em fazer escolhas certas e em confiar em Deus para suportar as conseqüências.

Fé não é crer apesar das evidências – isso é superstição -, mas sim obedecer apesar das conseqüências. Quando tiveram de escolher entre a Palavra de Deus e a comida do rei, ficaram com a Palavra de Deus (Sl 119.103; Dt 8.3).

Por Pr. Anderson Guarnieri

veja também