As vozes da experiência

As vozes da experiência

Atualizado: Terça-feira, 5 Abril de 2011 as 10:45

"Semelhantemente vós jovens, sede submissos aos que são mais velhos; e sede todos sujeitos uns aos outros, e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes" (I Pedro 5.5)

Você já ouviu alguém dizer que os jovens, principalmente os que estão no ápice da adolescência, pensam que sabem de tudo? Há sim, claro, exceções, mas é sim uma tendência natural dos adolescentes e jovens se acharem "modernos", "inovadores" e "sábios" demais para ouvir conselhos dos que consideram "velhos", "ultrapassados" e "antiquados".

Alguns dizem: "no seu tempo as coisas eram diferentes". Outros, quando confrontados ou aconselhados a não fazer algo, respondem: "você já fez no passado, aí agora é fácil dizer para eu não fazer". Há até os que, com ironia, retrucam: "falou a voz da experiência".

Tais atitudes são tolas. Devemos ser jovens sábios, que aprendem com aqueles que passaram pelo que vamos passar, a ponto de não cairmos nos mesmos erros. Não precisamos errar e "quebrar a cara" para saber que algo é negativo, podemos aprender nos submetendo aos que são mais velhos.

Claro que não devemos atentar para qualquer conselho, principalmente de pessoas frustradas. Paulo instruiu Tito a exortar as idosas a darem conselhos para as jovens, mas para isto elas deveriam ser "velhas" idôneas, santas em seu proceder e mestras do bem. Tem muitas mulheres mais velhas ensinando princípios negativos, porque simplesmente não obtiveram bons resultados, aí já generalizam e falam que é o "normal" da vida.

Um exemplo disto são mulheres que não obtiveram sucesso no casamento, aí dizem àquelas que estão namorando: "ele é romântico assim com você hoje, mas quando casar você vai vê a transformação, será uma peste, todo homem é igual".

Talvez o marido não era cristão, ou caso se dissesse ser, não praticava a Palavra de Deus. Os sonhos delas foram frustrados e agora pensam que podem frustrar os sonhos das mais novas.

Jovens, saibam que submissão não significar ter que concordar ou aceitar sempre, tudo.

Antes de obedecer aos mais velhos, precisamos nos submeter ao que Deus revela em Sua Palavra, e não é esta a opinião dEle sobre o casamento. Não esteja em nenhum extremo, nem no que ouve tudo e tampouco no que nada quer ouvir.

Podemos ser uma geração diferente, que experimentará a Palavra de Deus como "o normal". Mas ser diferente, não significa ser INDIFERENTE aos que adquiriram experiência, sabedoria e que já viveram mais do que nós. Por mais que a tecnologia seja diferente, os princípios são os mesmos. Salomão escreveu que não há nada novo debaixo do sol. Ele pergunta: "vê, isto é novo?". E responde: "Não! Já foi nos séculos que foram antes de nós" (Ec. 1. 9-10).

Podemos nos submeter a ouvir os que são mais velhos, conversar com pessoas idosas, aproveitar mais a presença dos nossos pais, avós, anciãos nas igrejas e até, aquele seu irmão ou irmã mais velho(a) dentro de sua própria casa, é preciso respeitarmos, tratarmos com honra e desenvolvermos humildade suficiente para honrar e aprender com os que são mais velhos.

Aprenda a dar preferência aqueles que são mais velhos, presenteá-los, tratá-los de forma honrosa e, acima de tudo, ouvi-los com atenção e reter o que é bom, mesmo que contrarie sua própria vontade, mas se for de acordo a Palavra de Deus, será livramento para você.

Não seja alguém que sempre responde que já sabe, ou que sempre tem alguma coisa para falar sobre qualquer assunto que surge nas rodas de conversas, mas aprenda o valor de ouvir e mudar de opinião quando alguém mais experiente lhe ensinar o correto.

Já dizia Ildemar Abreu, que foi meu líder no departamento de adolescentes: "o caminho para cima é por baixo", falando sobre a importância da humildade para que os jovens andem em vitória e sucesso em todas as áreas da sua vida. Feliz aqueles que se submetem a ouvir as vozes da experiência.

Por Perilo Borba

veja também