Essa coisa de ser solteiro...

Essa coisa de ser solteiro...

Atualizado: Sexta-feira, 9 Setembro de 2011 as 12:07

Faz certo tempo que esse movimento "pró-casamento" vem me incomodando. Não que eu seja contra casamento ou não queira casar, ta gente? De maneira alguma. Mas é que vejo como um sentimento mal disfarçado nas pessoas de que ser solteiro é praticamente um pecado – sobretudo se você é mulher.

Estar sozinha, hoje, principalmente na igreja, soa mais ou menos como estar fora da vontade de Deus. E há uma cobrança, silenciosa ou não, de que você se "resolva" nesta área o quanto antes.

Estou falando apenas por mim? Ou você nunca se viu como centro das atenções nas reuniões de família, nas lanchonetes com os amigos, ou em qualquer lugar onde todos queriam saber se você tinha um(a) namorado(a) e o porquê de não ter? Aposto que sim! A maioria de nós já passou (ou passa) por isso, e você se vê, de repente, tentando justificar o seu estado civil… Que coisa né gente?

Eles dizem coisas do tipo: "Assim você vai ficar pra titia!", "Olha, que mulher tem prazo de validade!", "Menina, o problema é que você é exigente demais" e a pior de todas: "Cuidado, você vai acabar ficando encalhada"…

Encalhada?!? Alguém aí sabe o que é "encalhar"?

O dicionário Aurélio define como "parar, encontrar obstáculos". Outro dicionário define como "ficar preso; não conseguir continuar', dando a ideia de que não há saída ou opção para quem se encontra nesse estado. No entanto, o que a Bíblia fala sobre estar solteiro é algo bem diferente, e talvez seja exatamente o oposto do que o mundo – e até as pessoas na igreja – falam sobre o assunto.

Ser solteiro, biblicamente, é um estado privilegiado.

O apóstolo Paulo não era casado, e disse abertamente que gostaria que todos os homens ficassem no mesmo estado que ele, caso conseguissem (1Co 7.7-8). Ele dizia que o casamento trazia "angústias na carne" (1Co 7.29) e que os casados estão divididos,enquanto os solteiros se consagram desimpedidamente ao Senhor (1 Co 7.32-35).

É claro que Paulo sabia que nem todo mundo consegue ficar solteiro, isto por causa da necessidade natural que temos por sexo, e ele mesmo afirmou que "cada um tem de Deus o seu próprio dom; um, na verdade, de um modo; outro, de outro", entretanto, quando fala sobre o assunto, Paulo sempre deixa a nítida impressão de que a “solteirice” é uma bênção, e mais do que felizes são aqueles que conseguem permanecer assim.

Um dos seus principais argumentos é a falta de impedimentos que os solteiros têm na sua vida com Deus. Ora, se eles se consagram desimpedidamente, é porque para os casados háalgum tipo de impedimento. Isto lhe lembra de alguma coisa?! Para mim, isto soa mais parecido com a definição de "encalhar" do que qualquer coisa que se diga sobre solteiros.

Estar solteiro é uma bênção sob vários aspectos, assim como o casamento também tem lá as suas vantagens, a grande questão é como vamos viver em cada fase em que estamos, pois se estivermos vivendo infelizes enquanto estamos solteiros, mesmo tendo o Senhor, dificilmente seremos felizes estando casados, pois a fonte da nossa alegria não deve estar nas pessoas, mas em Deus!

De fato, conheço alguns casamentos que deixaram algumas pessoas encalhadas, assim como conheço pessoas que são solteiras e se comportam como tal porque vivem em função de entrar num matrimônio. No entanto, este não é o melhor de Deus para ninguém!

Precisamos compreender e aceitar que existe uma graça para ser solteiro, do mesmo modo como existe uma graça para estar casado.

Por graça, leia-se "capacidade ou habilidade sobrenatural dada por Deus" para que permaneçamos no estado em que nos encontramos de modo digno e, por que não dizer "fácil"?

A grande questão é que as pessoas solteiras ainda não entenderam isto, especialmente as mulheres, e acabam acreditando que entrar num casamento é a maior conquista da vida, e aí, começam a buscar isto com muito mais avidez, muitas vezes, do que buscam o Reino.

Conheci uma moça a alguns anos da qual nunca me esquecerei. Ela tinha o desejo ardente de casar, e expressava isso para todos os amigos que conhecia. Era hilário! Todo mundo sabia que a fulana era louca para casar. Ela já estava bem perto dos 30 anos e achava que o seu tempo estava se esgotando.

Lembro que ela dizia abertamente que estava procurando 'o dela', e nós achávamos uma graça, porque ela vivia de igreja em igreja, para cima e para baixo, trabalhando nos encontros de jovens que apareciam, envolvidíssima em todo e qualquer projeto cristão, à busca do "varão prometido". Cultos de oração, por exemplo, ela não perdia de jeito nenhum!

Lembro-me que um dia ela me contou que já tinha feito várias "correntes" de oração, e estava preocupada achando que havia algo de errado, pois Deus tinha "uma obra grande' na vida dela, e ela precisava casar para que isso se cumprisse.

Claaaro que ela amava ao Senhor! Eu não tenho dúvida quanto a isso. Contudo, um dia ela finalmente encontrou alguém e casou, e hoje me pergunto onde está todo aquele amor e fervor, todo aquele desejo de servir a Deus e cumprir o chamado, já que raramente a vejo na igreja depois do tão sonhado "sim" diante do altar.

Acredito que muitas pessoas alimentam o sofisma de que todos os seus problemas se resolverão se elas casarem, que sua vida estará melhor, e que assim vão poder ser mais ativas no ministério porque “um ajunta mil, dois, dez mil” (elas argumentam). Mas as pessoas precisam entender que não é o matrimônio quem vai alçá-las ministerialmente, nem fazê-las feliz, mas Deus, e ele definitivamente não está limitado ao seu estado civil.

Especialmente as mulheres, precisam compreender que são pessoas completas, plenas em Cristo, e um companheiro não é um "tapa-buraco", aquele que vai completar o "vazio' da sua existência. O único que pode preencher vazios existenciais é Jesus Cristo - a razão das nossas vidas! E é nele que nós vivemos, nos movemos e existimos!

Shalom!

Por: Luciana Honorata - Professora do Rhema Brasil

veja também