Falta de fé também mata, acredite

Falta de fé também mata, acredite

Atualizado: Sexta-feira, 18 Novembro de 2011 as 12:41

Nada mais desesperador do que se sentir transbordando de satisfação por saber em quem nós cremos e então nos deparar com alguém na estaca zero, que sabe mais sobre Freud do que sobre o seu Criador. Da multidão dos que não crêem, dei-me a liberdade de dividi-los em três grupos:

Os que não acreditam em nada nem em si mesmos, vivem em uma busca incessante por sabe-se lá o que, disfarçando com mil artifícios sua insuportável sobrevivência.

Os que acreditam só em si mesmos e mentem pro espelho todos os dias de manhã. Essas pessoas se agarram com tudo o que podem a boas vibrações, vibes, paz & amor. Se não forem salvos a tempo, com certeza terão um epitáfio mentiroso. Pois religião não salva, boas vibrações não preenchem seu vazio e paz & amor do mundo não te satisfazem pra sempre.

Os que acreditam que acreditam em Deus, mas se você perguntar 'quem é esse Deus' ou 'que diferença Ele faz na sua vida' eles não vão saber responder. Logo, é uma crença vaga, o cristianismo falso nesse caso é só uma rocha oca na qual a pessoa sobe, porque parece segura. O que acontece com o tempo? Desmorona.

"Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam". Hb 11:6

Fé, crença, cristianismo, ateísmo, ceticismo, quantas vezes isso não foi assunto nas nossas rodinhas? Quantas vezes esse assunto não foi puxado por algum conhecido seu que não crê em nada? Conversei com uma colega cristã semana passada que há tempos não via. Ela está no segundo ano de psicologia, e afirma desde o primeiro ano, que já não sabe mais se crê em Deus.

Ela me disse que às vezes pensa tanto (nessas divagações de crença) que pára de pensar com medo de ficar louca. Eu acho que o louco deve parar de pensar, se quiser continuar a viver. Sem nenhum medo eu a aconselhei a fazer amputação intelectual, tamanho foi o meu desespero diante de uma moça tão preciosa, esfriando na fé. Afinal, se o conselho de Deus foi arrancar meu olho se o mesmo me fizer pecar, concluo que ele me aconselharia sabiamente a cortar minha cabeça, se ela me ofender. Eu sei que agora caberiam muitas críticas a essa linha de pensamento – tão radical -, sei que muitos vão lembrar da passagem bíblica em que Paulo fala da importância do “culto racional”, mas na minha humilde opinião é melhor entrar no reino do céu como uma criança, mas entrar como um imbecil, em vez de, com todo seu intelecto, ser lançado no inferno.

O tipo de cético mais perigoso, pra mim, não é o que acredita que tudo começou na matéria e sim aquele que acredita que tudo começou nele mesmo. Ele não duvida da existência de anjos e demônios, mas da existência de homens e vacas. Pra ele, seus próprios amigos são uma mitologia criada por ele mesmo. Quem é? Quem são? O editor que pensava que os homens progrediriam se acreditassem em si mesmos; aqueles seguidores do super-homem que estão sempre tentando encontrá-lo no espelho; aqueles escritores que falam em registrar sua personalidade em vez de criar vida para o mundo… apenas alguns centímetros separam toda essa gente desse terrível vazio.

Depois, quando este bondoso mundo que nos cerca tiver sido denegrido como uma mentira, quando amigos desaparecerem transformados em fantasmas, e os fundamentos do mundo falharem; depois, quando o homem não acreditando mais em nada e em ninguém estiver sozinho em seu pesadelo particular, então o grande lema individualista será escrito sobre ele em vingadora ironia. As estrelas serão apenas pontos na escuridão de seu cérebro; o rosto de sua mãe será apenas o esboço de seu próprio pincel insano nas paredes de sua cela. Mas sobre sua cela estará escrito, com assustadora verdade: Ele acredita em si mesmo.

Se você, depois de uma aula no cursinho ou na faculdade, já foi pra casa questionando coisas relacionadas a sua fé/crença, eu tenho um segredo pra te contar, que talvez seja a chave que vai te libertar dessa gaiola: Você pode compreender tudo com a ajuda daquilo que não compreende. Entende? E nessa compreensão de tudo cabe muito bem o versículo de 1 Coríntios 13:12 "Agora, pois, vemos apenas um reflexo obscuro, como em espelho; mas, então, veremos face a face. Agora conheço em parte; então, conhecerei plenamente, da mesma forma como sou plenamente conhecido."

Você não precisa entender de tudo pra ser completo. O mais completo dos homens é aquele que, em todo seu conhecimento, cai de joelhos diante da grandeza do conhecimento de Deus e assume sua fraqueza e pequinês.

Cabe um oceano num copo? Não. Cabe o conhecimento de todas as coisas na sua mente? Não.

Agora se você, como eu, está lidando com uma mente no processo de tornar-se mórbida, como a dessa minha colega, sua principal preocupação não deve ser oferecer-lhe argumentos, mas sim ar. Convencê-la de que existe algo mais limpo e mais arejado fora do sufoco de um único argumento. E ore tanto quanto puder por essa pessoa. Nesses casos não é legal discutir sobre o ponto de vista da pessoa, como se fosse uma heresia, mas simplesmente quebrá-lo como se fosse um encantamento, isso sim, só é possível na oração.

Por Lenara Monteschio

veja também