Gianna Jessen - contra o aborto

Gianna Jessen - contra o aborto

Atualizado: Quinta-feira, 1 Dezembro de 2011 as 2:34

Vou direto ao ponto!

Estava eu, serelepe e pimpão, caçando videos na web pra colocar aqui de maneira a divertir sua segunda feira. Então, para me ajudar, coloquei um pedido de help no Twitter do NMM. Foi ai q a Suelem Santos, ou simplesmente Suh, me indicou um video fantástico!!! Acabo de vê-lo e com certeza o verei navamente!! É uma absurda lição de vida!!! Tive q cancelar o post anterior pra postar este!

A história:

A bela mulher ao lado chama-se Gianna Jessen. Ela tem hoje 32 anos, é cantora, escritora, palestrante, maratonista e ativista contra o aborto.

Quando sua mãe, de apenas 17 anos, estava no sétimo mês de gestação de Gianna, decidiu abortá-la. A mãe foi aconselhada a optar pela morte de Gianna por envenenamento com solução salina injetada no líquido amniótico. A solução faz o bebê ser monstruosamente queimado por dentro e por fora e expelido sem vida em menos de 24 horas.

Gianna conta ter sido queimada viva pela solução salina no útero de sua mãe por 18 horas. Mas, para a chocante surpresa de seus algozes, nasceu viva nunca clínica de abortos de Los Angeles (EUA). Seus registros médicos dizem, para qualquer cético ver: “nascida durante aborto por evenenamento salino”.

Em seu site ela conta que pesava meros 900 g ao nascer e que, por conta do envenenamento, foi diagnosticada com paralisia cerebral devido à falta de oxigênio no cérebro enquanto lutava pela vida em meio à solução salina. Os médicos disseram que ela jamais seria capaz de levantar a cabeça, sentar, engatinhar ou andar. Mas, contrariando os prognósticos, ela começou a andar por volta dos três anos e meio de vida com a ajuda de um andador e suporte para as pernas. Sua única sequela aparente é um leve mancar no caminhar, mas, para quem não deveria sequer estar levantando a cabeça, é um assombro. Em 30 de abril de 2005, Gianna completou sua primeira maratona de 42 km após correr por 7 horas. Em 23 de abril de 2006, completou a maratona de Londres. Está determinada a correr todas as maratonas que puder como prova de vitória da vida sobre a morte, já que não queriam que corresse — sequer que vivesse.

Ela não deveria estar andando, falando, enxergando, pensando ou sequer estar viva, mas, por milagre, está. Ela reconhece a intercessão de nosso Pai Celestial defendendo-a do crime monstruoso tentado contra ela e presta um poderosíssimo testemunho disso nas palestras contra o aborto que faz no mundo todo.

Não preciso entrar em detalhes sobre sua história, pois ela mesma o faz nos vídeos abaixo, os quais convido o leitor a assistir do começo ao fim. Em suas palavras ela enfia fundo o dedo na ferida ética e moral da defesa do aborto abordando questões profundas e convidando todos à reflexão. Para mim, a experiência de vida e as palavras de Gianna são um poderoso e bem merecido tapa da cara dos defensores do aborto.

Texto retirado do blog marcelotodaro

Parte 1

Parte 2

Por Fernando Ortega

veja também