Moda, Mania & Cia.

Moda, Mania & Cia.

Atualizado: Segunda-feira, 28 Novembro de 2011 as 2:12

E aê pessoal? Tudo bom? Hoje quero conversar sobre: MODAS, MANIAS... Depois que você creu em Jesus, tem sido difícil decidir sobre "que lugares você pode ou não freqüentar"? "que roupas você pode ou não pode vestir”? "o que você pode ou não fazer"? "em qual moda você pode ou não entrar"?

Depois que alguém se torna um cristão deve seguir muitos passos como:

• Parar de fumar; • Fazer as pazes com quem está brigado; • Beber? Nem pensar. • Mudar de religião; • Ir à igreja; • Orar sempre; • Não mentir; • Não pode mais ficar; • Não usa mais palavrões...

E a lista não acaba... São inúmeras as coisas. Mas, porque se deve deixar de fazer essas coisas? O que nos motiva a ter certas atitudes em determinadas situações? O que desperta em nós o desejo de fazer ou não o que é certo? Hum...

São dois os elementos que nos regem. A convicção e a motivação. A convicção é uma certeza adquirida e tem a ver com identidade. Já a motivação é o que me impulsiona a fazer algo. Infelizmente a realidade dos jovens das igrejas evangélicas no nosso país é a de uso de tatuagens, cortes de cabelos muito extravagantes, a compra de roupas pela marca, ida a danceterias “evangélicas”, roupas sensuais e por ai vai... Então, qual deve ser o posicionamento do verdadeiro jovem cristão mediante essas modas e manias?

Em Marcos 12: 13-17 encontramos alguns princípios, vamos dá uma olhada... “E enviaram-lhe alguns fariseus e dos herodianos, para que o apanhassem em alguma palavra. Chegando disseram-lhe: Mestre, sabemos que és verdadeiro e não te importas com que quer que seja, porque não olhas a aparência dos homens; antes, segundo a verdade, ensinas o caminho de Deus; é lícito pagar tributo a César ou não? Devemos ou não devemos pagar? Mas Jesus, percebendo-lhes a hipocrisia, respondeu: Por que me experimentais? Trazei-me um denário para que eu o veja. E eles lho trouxeram. Perguntou-lhes: De quem é esta efígie e inscrição? Respondeu-lhe: De César. Disse-lhes, então, Jesus: Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. E muito se admiram dele.”

Primeira lição: AS APARÊNCIAS ENGANAM

Aqueles homens estavam lá para tentar achar alguma contradição em Jesus. Eles sabiam que Jesus não julgava pelas aparências, mas verdadeiramente ensinava a Palavra de Deus. Porém, eles não criam e fizeram papéis de ridículos. Do mesmo modo é conosco, se fingirmos nossa relação com Deus, fazendo assim papéis de tolos. Não podemos viver de aparências, pois do mesmo modo que vivemos na igreja, devemos nos comportar no mundo. E nos comportar no mundo como se estivéssemos dentro da igreja.

Segunda lição: SOBRAM REGRAS E FALTAM CONVICÇÕES.

Jesus estabelece que se deva dar a César o que é de César e dar a Deus o que é de Deus. É mais do que uma regra, pois a regra motiva pelo medo, já o principio motiva pela convicção.

Os homens do texto entendiam sobre as regras de impostos e do que deveriam dar a César, mas ficaram longe de entender o principio da consagração e o que precisavam dar a Deus. Eles eram religiosos que se perdiam nas próprias regras.

Quem crê no Senhor entende que o seu coração é dele. Isso significa que se deve procurar conhecer mais a Deus e a sua vontade, para não se correr o risco de se tornar apenas aparência, pode até enganar os outros menos a Deus.

• Dar a César o que é de César: OBRIGAÇÃO.

• Dar a Deus o que é de Deus: RESULTADO NATURAL DE QUEM CRÊ.

Bom... a Bíblia não dita uma moda que se deva ou não seguir, mas ela se posiciona a estabelecer um estilo de vida para todos nós.

Em 1 Tm. 2:9 vemos o seguinte: "da mesma sorte, que as mulheres, em traje decente, se ataviem com modéstia, não com cabeleira frisada e com ouro, ou pérolas, ou vestuário dispendioso".

Paulo, neste versículo, quer destacar a DECÊNCIA, que deve ser o respeito a si e aos outros, guardando-se no vestir, nas maneiras, na linguagem e etc. Quando você se veste de modo digamos muito sensual, você pode estar levando seu irmão ao pecado da defraudação. E levar alguém a pecar também é pecado. Também, vê-se a MODÉSTIA, que é a ausência de vaidade ou luxo. Outra coisa é o BOM SENSO. Por exemplo: eu não vou de maiô pra igreja, do mesmo modo que não vou à praia de longo.

Você pode está ai se perguntando: Mais Ellen o que a MODA e a SANTIDADE têm em comum?

O negócio é o seguinte. A moda é uma tendência ou comportamento que são impostos por alguém. Esse alguém se torna influência em sua vida... Já a santidade é absorver os valores da pessoa que você mais ama e admira, JESUS. A moda é passageira e tem muito a ver com identificação. Por outro lado a santidade é o resultado de convicções imutáveis e tem a ver com a nossa identidade com CRISTO.

É provável que neste momento você tenha que reconsiderar muitas atitudes e comportamentos que tem tido, mudar hábitos, modas ou manias que são nocivas aos discípulos de Cristo, que somos. Devemos aprender que quem vive pra Deus não vive de aparências e que a nossa vida é pra Ele.

Espero que esse texto tenha os abençoado e quero que vocês tenham uma coisa em mente:

"SE NÃO TIVERMOS CONVICÇÕES, O MUNDO, A MODA E AS MANIAS VÃO DETERMINAR NOSSAS AÇÕES."

Deus não quer isso, então se liga tá?!

Obs.: Texto adaptado da revista de escola dominical, "Jovens: O DESAFIO DA CONTEXTUALIZAÇÃO".

veja também