Movimentar é preciso

Movimentar é preciso

Atualizado: Segunda-feira, 31 Outubro de 2011 as 1:17

Olá pessoal. Primeiramente quero dizer que é uma honra poder estar com vocês nesse espaço virtual. Espero que nossa troca de experiências seja relevante para Reino de Deus.

Começo confessando que estive pensando bastante sobre o que compartilhar com vocês nesse primeiro Post. Tenho me sentido como o saudoso Roberto Carlos (O cantor, não o polivalente jogador do imbatível Timão!) tendo tanto para lhes falar, mas que apenas com palavras não sei dizer.

Não gostaria de começar tecendo textos que mais se assemelham a relatórios que sempre visam um desafio financeiro, como é costumeiramente visto em informativos missionários. Embora me sinta tentado a isso devido as inúmeras necessidades encontradas nessa nação onde se estima que mais de 42%, de um Bilhão e meio de pessoas vivam em situação de miséria.

Quero fazer desse célebre espaço um ponto de encontro de idéias e ações que se reformulem na inconstância do tempo e que produzam frutos dignos de arrependimento.

Para tanto, hoje quero compartilhar com vocês uma frase muito usada pelos antigos aventureiros dos mares:

“Navegar é preciso.”

É uma frase simples, mas que analiso como uma declaração de uma alma apaixonada e sedenta por descobertas! Ao ler essa frase, não me sobe ao coração o desejo de passar meses ou anos a bordo de um navio, acho que meu estômago não suportaria, o que sobe no meu coração é o prazer de se descobrir novos espaços. É o prazer de se chegar onde se pensa não existir.

No primeiro capitulo de Genesis, no segundo versículo diz que o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. Em outras palavras, o Espírito de Deus navegava sobre as águas. Fiquem tranqüilos meu apelo não para a navegação, mas sim para o “movimento” em direção a algo. No caso do Espírito de Deus, esse movimento visava estabelecer uma ordem ao caos.

Tomo aqui a liberdade de alterar um pouco o apelo antigo dos descobridores, para um apelo contemporâneo à nossa geração:

“Movimentar é preciso”

E no nosso caso, não necessariamente precisa ser a um continente distante, basta que seja de estabelecimento de ordem ao caos.

Primeiro apelo – MOVIMENTO

Assim como vocês, sou jovem e caminho nesse nosso sistema selvagem e  percebo que caminhamos para o conforto. Hoje resolvemos tudo o que quisermos sentados em uma boa cadeira, com um frigobar do lado e uma sanduicheira do outro, tendo a nossa frente apenas um computador, como esse que estamos agora. Hoje achamos que conhecemos tudo que precisamos através do Google, surgem até frases como: se não está no Google não existe. É triste ver que todo nosso esforço social, profissional e afetivo é um clamor existencial e egoísta de conforto. Toda nossa tecnologia, todo nosso dinheiro, todos nossos sonhos são baseados na calma tranqüila do conforto.Para isso existe até igreja, onde depois de se levantar o braço, pode sentar e esperar a morte chegar, e logo estará no paraíso. (Sem esquecer de pagar, é claro).

É triste perceber que até nossas bases evangélicas são uma busca pelo conforto. Onde o templo tem que ser agradável, o pastor tem que ser carismático, o som tem que ter a altura ideal aos ouvidos, a palavra tem que ser rápida e profunda, os irmãos tem que ser receptivos sem ser chatos, o estacionamento tem que caber meu carro, e a oração tem que ser forte!

Dessa forma igualamos a igreja a qualquer outro mercado de consumo que visa entreter e confortar. Me espanta um poeta como Fernando Pessoa fazer a seguinte declaração: Não conto gozar minha vida, só quero torná-la de toda a humanidade. É interessante ver que Jesus esteve em constante movimento, não tinha onde reclinar a cabeça, E ainda assim, serviu de alimento para toda a humanidade. Não sou contra ferramentas de conforto, sou contra elas impedirem nosso movimento.

Segundo apelo – ORDEM AO CAOS

Creio que não é todo movimento que surte efeito. Nosso movimento tem visar ordem ao caos! Andando um pouco pela Índia tenho a sensação de contemplar o caos. Carros, pessoas e  animais disputam um pequeno espaço que outrora fora chamado de “rua”, e que hoje se assemelha mais a uma “arena”, onde o mais forte ou mais esperto consegue chegar em casa. Vejo às vezes alguns guardas parados nas esquinas, porque são incapazes de conter o avanço do caos, eles tem essa missão, tem essa função, porém não a fazem. Ficam parados, olhando o caos, como nosso querido Ló em Sodoma.

Quando me refiro a ordem não estou falando de qualquer sistema político ou religioso já experimentado e ordenado com braço forte. Me refiro ao Reino de Deus. Que estabelece padrão, pois faz de uma natureza caída a imagem e semelhança do Pai. Faz de um mundo sem forma um jardim inigualável.

Em atos 17, Paulo e Silas são reconhecidos como aqueles que estavam alvoroçando o mundo. Na verdade eles estavam se movimentando e colocando ordem no caos que a desobediência humana instituiu.

Enquanto as previsões para nossa geração são totalmente pessimistas e consumistas. Vamos navegar com o Espírito de Deus, nesse caos social e religioso que parece não ter fim. Que o Espírito sopre em nossas velas e nos leve em ventos favoráveis cortando as ondas das heresias, hipocrisias, misérias e injustiças.

É o nosso tempo de alvoroçar o mundo.

Movimentar é preciso!

O Espirito se move em quem se move!

Por: Saulo Augusto

veja também