Não serve qualquer caminho

Não serve qualquer caminho

Atualizado: Quarta-feira, 11 Maio de 2011 as 10:02

O mundo atual apresenta uma filosofia um tanto interessante: o que importa é ser feliz, faça o que você quiser fazer, e simplesmente seja feliz. Vemos muito frases como estas. O que esses pensamentos dizem, basicamente, é que não importa o caminho que você vai traçar, no final vai dar tudo certo, tudo te leva à felicidade.

Mas o que fazer com o livre arbítrio? Se no final, façamos o que fizermos tudo dá certo, então para que essa liberdade de escolha? Pensando melhor, nem é livre arbítrio no fim das contas, se o final é sempre igual, se tem apenas esta opção. O grande lance do livre arbítrio é que vamos escolher nosso destino, o que fazemos têm conseqüências, cada caminho leva a um fim diferente.

Claro que é importante ser feliz, mas onde realmente está a felicidade? Será que não julgamos errado as pessoas que se dizem tão felizes às vezes? Numa sociedade tão perturbada e corrompida, muitos vivem falsas felicidades, que no fundo sabem que aquilo não é realmente felicidade. Será que um jovem que perde metade de sua vida porque bebe excessivamente, é feliz? E um cara ou uma garota que tem vários parceiros ao mesmo tempo? Ou um casal, que apesar de ser bem sucedido no trabalho, não consegue viver em harmonia na sua própria casa? A felicidade de pessoas assim é totalmente superficial, elas vivem em conflito consigo mesmas, e acabam se enganando e sendo frustradas sozinhas.

Nem todos os caminhos vão para onde queremos chegar, então devemos escolher bem qual deles pegar e não se deixar enganar por uma felicidade superficial, mas sim buscar a verdadeira felicidade.

Mariana Longo Mendes tem 17 anos, é estudante, trabalha com seus pais na área de Propaganda e Marketing e também escreve poesias.

veja também