Nem o chão está firme

Nem o chão está firme

Atualizado: Terça-feira, 15 Março de 2011 as 1:35

Num dos finais de semana de fevereiro, meu tio viajou para o Chile. Nós vivemos escutando sobre os tremores que tem por lá, mas na realidade, a maioria de nós não sabe como é. Enfim, nesta viagem meu tio descobriu como é. Ele contou que os tremores são normais, acontecem todos os dias, mas não no mesmo nível; na escala Richter até o 5, ainda são fracos e você não sente tanto assim, apesar de conseguir, sim, sentir o chão tremer; até o 7, são intermediários, por assim dizer, a tremida é maior, mas é possível andar e ficar sentado em algum lugar; agora de 8 pra cima o tremor te joga no chão e não é possível se movimentar. Meu tio disse que a sensação é muito ruim, pois parece que o chão saiu do lugar (apesar dele não ter pego um tremor acima de 8).

Fiquei pensando sobre esses tremores em terra firme. Quando estamos no avião e enfrentamos uma turbulência, temos muito medo, mas sentimos um alívio enorme quando pisamos no chão. Se alguém sofre uma batida de carro, quando sai do carro e sente o chão firme, também sente alívio. Se alguém morre de medo de mar, e está num navio, com certeza vai sentir um alívio tremendo ao sentir seus pés no chão, de volta à terra firme. Mas quando há um terremoto, o que é firme? O chão não é mais firme, ele está tremendo, saindo do lugar, se movendo.

A nossa vida é como um terremoto, o chão parece firme, mas não é, ela se abala, treme, se move, e ás vezes não sabe mais onde está segura de tantos tremores.

Nos tremores de verdade nós não temos onde agarrar, ou onde nos sentirmos firmes. Mas nos tremores da vida, nós sabemos que tem uma mão que sempre está à disposição para nos oferecer segurança, a mão de Deus.

Mariana Longo Mendes tem 17 anos, é estudante, trabalha com seus pais na área de Propaganda e Marketing e também escreve poesias.

veja também