Os propósitos do casamento

Os propósitos do casamento

Atualizado: Quarta-feira, 20 Abril de 2011 as 8:45

O trecho bíblico de Gênesis 2:18-24 ensina-nos que o casamento nas-ceu no coração de Deus quando não havia ainda legisladores, leis, Estado ou igreja. Deus, que sonda os corações, sabia que, no peito Adão, a solidão o sufocava. Não é bom que o homem esteja só (Gn 2:18a), foi a observação que Deus fez. Pouco tempo depois, ele proveu a Adão uma companheira, instituindo, assim, o casamento. Foi o primeiro da história humana! Analisando esse relato bíblico, temos muito a aprender sobre os propósitos do casamento no plano original de Deus. Acreditamos que Ele tinha, pelo menos, três propósitos em mente, quando realizou o primeiro casamento.

Em primeiro lugar, resolver o problema da solidão. O casamento foi a forma que Deus usou para resolver o problema da solidão humana. Entretanto, seria um grave erro restringirmos a frase: Não é bom que o homem esteja só (Gn 2:18) ao contexto do casamento. A solidão não é boa. Deus nos fez seres sociais. A amizade também é um dom de Deus. Com a criação de Eva, Deus deu a Adão alguém com quem se relacionar, conversar, dividir alegrias, descobertas, etc. Mas, não é só isso. Além de resolver o problema da solidão, o casamento tem outros objetivos.

Em segundo lugar, oferecer companhia adequada. Nos versículos 19 e 20 de Gênesis 2, lemos que Deus trouxe todos os animais diante de Adão para que ele pudesse nomeá-los. Segundo Wiersbe, sem dúvida, os animais passaram diante dele em pares, e, talvez Adão tenha se perguntado: “Por que eu não tenho uma companheira?”. Ao invés de lhe conceder um animal, Deus, com uma parte do corpo de Adão, formou uma auxiliadora à altura dele (Gn 2:18), capaz de compreendê-lo e ajudá-lo.     

Em terceiro lugar, proporcionar amor mútuo. A mulher foi o presente de Deus para o homem. Adão deve ter ficado boquiaberto com a beleza estonteante de Eva. Ela deve ter sido a mulher mais bela do universo. Feita pelas mãos do próprio Deus!  Esculpida por ele. Diante dela, Adão declama o primeiro poema de amor da história: Agora sim! Esta é carne da minha carne e ossos dos meus ossos. Ela será chamada mulher porque Deus a tirou do homem (Gn 2:23, NTLH). Ela foi feita dele, para ele. Eles pertencem um ao outro e foram feitos para se amarem mutuamente. Sempre!  

É bom frisarmos, aqui, que, apesar de Eva ter sido criada para Adão, como lemos em I Coríntios, capítulo 11, versículo 9, não devemos supor uma sugestão de importância menor da mulher, mas sim que existe uma diferença de papéis desde o início. Além do mais, a expressão auxiliadora idônea (Gn 2:18), não sugere, em hipótese alguma, sentido de inferioridade. A diferença entre os homens e as mulheres está nos papéis e não na importância. Ambos são iguais para Deus. Que homem e mulher, ao assumirem o compromisso conjugal um com o outro, vivam o propósito de Deus para esta união!

Eleilton William de Souza Freitas é missionário, casado, e graduando em teologia. É líder do Ministério Jovem da Igreja Adventista da Promessa, no bairro de Vila Maria, em São Paulo.

veja também