Se, por acaso

Se, por acaso

Atualizado: Quarta-feira, 14 Dezembro de 2011 as 11:59

Se, por acaso, as dificuldades da vida se agigantam em sua frente e sente que a esperança se evaporou.

Se, por acaso, a dor bate malvadamente à sua porta e como se não bastassem momentos, quer morada definitiva.

Se, por acaso, olha ao seu redor e não encontra uma pessoa amiga a quem possa desabafar, contar segredos e desafetos.

Se, por acaso, a sua vontade é de se encaramujar, encastelar e dizer ao mundo: eu não existo, por favor, me esqueça, eu sou um acidente da natureza

Se, por acaso, o grande momento da vida, do caminho certo, da paz interior, ainda não ocorreu.

Se, por acaso, isto estiver ocorrendo, eu lhe convido para que juntos entremos no barco de Jesus, na companhia de seus discípulos e viajemos no mar da galiléia.

A tarde chega o sol se põe na direção do mar grande, o mestre diz aos seus amigos passemos para outra margem. Logo o discípulo, principalmente os pescadores acostumados com a navegação, toma a frente, estendem as mãos para que todos entrem no barco. Alguns conversam sobre as maravilhas que viram durante o dia, os de espírito reflexivo são atraídos pelos raios vespertinos, pelo sussurro das águas azuladas e pela imponência das montanhas e outros remam alegremente. Jesus, cansado pelas atividades, vai para a parte de trás do barco, recosta-se numa almofada macia e dorme.

Rapidamente o tempo muda, o vento sopra forte, ondas enormes açoitam o barco, o céu escurece e encontram-se desnorteados. Cada qual faz o que pode para controlar a embarcação, porém; a situação é catastrófica e as ondas são mais fortes que suas energias e o naufrágio é certo. Alguém lembrou, Jesus está conosco e logo foram Ter com Ele exclamando: estamos perecendo, vamos morrer. O Cristo, sendo Rei e Senhor de todas as coisas, levanta-se e fala ao vento e ao mar cala-te, aquieta-te e para espanto geral as ondas baixam, o vento deixa de soprar e as estrelas surgem no céu. Uma pergunta sobrevém no coração dos discípulos. Porque tanto desespero? Entre os membros do barco uma expressão: “quem é este que o vento e o mar lhe obedecem? Marcos 4.35-41 (Paráfrase).

Se, por acaso, você se encontra numa tempestade maior que as suas forças, fale com Jesus agora. Ele não se encontra mais adormecido, porém; de mãos estendidas, as mesmas que foram cravadas na cruz e transformadas pela ressurreição ao terceiro dia, aguardando apenas um pedido seu para acalmar o vento e as ondas, para poder contemplar e amar o mundo ao seu redor e lhe conduzir ao porto eterno, logo ali, do outro lado, a nova Jerusalém.

Pastor Elias Alves Ferreira

veja também