Síndrome de Caim

Síndrome de Caim

Atualizado: Segunda-feira, 12 Março de 2012 as 10:49

Gn. 4: 1-7
 
“Adão teve relações com Eva, sua mulher, e ela engravidou e deu à luz Caim. Disse ela: "Com o auxílio do Senhor tive um filho homem". Voltou a dar à luz, desta vez a Abel, irmão dele. Abel tornou-se pastor de ovelhas, e Caim, agricultor. Passado algum tempo, Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel, por sua vez, trouxe as partes gordas das primeiras crias do seu rebanho. O Senhor aceitou com agrado Abel e sua oferta, mas não aceitou Caim e sua oferta. Por isso Caim se enfureceu e o seu rosto se transtornou. O Senhor disse a Caim: "Por que você está furioso? Por que se transtornou o seu rosto? Se você fizer o bem, não será aceito? Mas se não o fizer, saiba que o pecado o ameaça à porta; ele deseja conquistá-lo, mas você deve dominá-lo".”
 
O livro de Genesis é basicamente a história de algumas famílias: a de Adão, a de Noé, e a de Abraão. Todas elas tiveram problemas! Ou seja, os problemas familiares sempre fizeram parte da história da humanidade. Mas hoje gostaria de me deter à história da família de Adão. Como vocês viram a Bíblia conta que o primeiro filho de Adão recebeu o nome de Caim, e este foi recebido com festa pelo casal: “Com o auxílio do Senhor tive um filho homem.” – exclamou Eva após o nascimento de seu filho.
 
Tempos depois tiveram outro menino e lhe colocaram o nome de Abel. Os meninos cresceram juntos, é provável que Caim até tenha auxiliado seus pais na criação de seu irmão mais novo. Os dois receberam o mesmo carinho, as mesmas instruções, o mesmo amor, a mesma educação. Era uma família bonita de se ver! No entanto, os meninos tinham suas diferenças: Abel se interessou por animais, passou a cuidar de ovelhas, tornando-se pastor. Caim se interessou pela terra, passou a cultivar a terra, gostava de plantar e colher alimentos, tornando-se um agricultor.
 
Existe algum problema até aqui? Claro que não. É absolutamente normal gostarmos de coisas diferentes. E as diferenças precisam ser respeitadas. Há quem goste do Timão e quem goste do Verdão. (E ainda bem que existe o Verdão, pois o que seria do Timão sem ele!).
 
No entanto, as diferenças não pararam por ai. Depois de um tempo, diz o texto que: “Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel, por sua vez, trouxe as partes gordas das primeiras crias do seu rebanho.” Você consegue nessa primeira leitura identificar a diferença de devoção entre Caim e Abel? Qual deles parece ser mais zeloso para com as coisas de Deus?
 
Diante de ofertas diferentes, uma resposta diferente: “O Senhor aceitou com agrado Abel e sua oferta, mas não aceitou Caim e sua oferta.” Cabe aqui uma observação: É bom que se diga que Deus não é parcial, e nem prefere carne ao invés de legumes. Não é esse o caso. A resposta de Deus está relacionada à devoção de cada um. Repare agora que Deus não só recusou a oferta, mas, também, o ofertante! A oferta de Caim, simplesmente, revelou o seu zelo, sua devoção, seu caráter de adorador.
 
Precisamos entender que Deus não aceita qualquer coisa. Que não dá pra agradar a Deus de qualquer jeito. A aquela velha desculpa - “Eu vou cantar esse hino, não deu tempo pra ensaiar, mas é pra glória de Deus!” – é uma ofensa ao Deus santo, digno de toda honra, de toda glória, e do mais perfeito louvor!
 
Ao ser reprovado por Deus, “Caim se enfureceu e o seu rosto se transtornou”. Caim não conseguiu esconder sua indignação. Ao invés de reconhecer seu próprio erro, colocou toda culpa em seu irmão.
 
Normalmente, é assim que a gente faz, preferimos ficar indignados, perseguir os outros ao invés de melhorarmos.
 
Deus percebeu que Caim não estava legal, então lhe disse: "Por que você está furioso? Por que se transtornou o seu rosto? Se você fizer o bem, não será aceito? Mas se não o fizer, saiba que o pecado o ameaça à porta; ele deseja conquistá-lo, mas você deve dominá-lo."
 
Deus percebe quando não estamos bem, Ele sabe o que sentimos e pensamos. É impossível esconder qualquer coisa dEle.
 
Deus deixou claro a Caim: “O pecado está à porta e tentará conquistá-lo, mas você deve dominá-lo.” Dias depois Caim matou seu próprio irmão!
 
Quantas pessoas estão vivendo como Caim: Oferecendo a Deus uma devoção medíocre, demonstrando ter uma personalidade “casquinha de ferida”, dando uma de adorador quando na verdade está vivendo dominado pelo pecado.
 
A história de Caim e Abel nos ajuda a entender que as diferenças sempre existirão e devemos ser tolerantes e amáveis para com todos. E mais, através do exemplo de Caim aprendemos que não dá pra viver na mediocridade, devemos oferecer o que temos de melhor ao nosso Deus. Precisamos atentar para o conselho do Senhor: o pecado está à porta e deseja nos conquistar, mas devemos dominá-lo. E só será possível através da obra de Jesus Cristo em nossas vidas. É Ele quem nos livra do domínio do pecado e da morte. Jesus Cristo é o modelo excelente de adorador, pois a sua vida era a sua oferta a Deus!
 
Agora que você refletiu sobre a história dessa família, dessas diferenças pessoais no que diz respeito a preferências, devoção e caráter; o que você está disposto a colocar em pratica em sua vida?
 

Por: Pr. Willian de Souza

veja também