Suportando uns aos outros...

eus – por meio dos escritos de Paulo – nos faz um grande desafio que reforça os mandamentos de Cristo. Amar ao próximo como a si mesmo, com certeza, é suportar as particularidades do outro. Devemos, então, ‘conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz’

Fonte: Não Morda a MaçãAtualizado: quinta-feira, 13 de novembro de 2014 15:34
unidade
unidade

unidadeApós as eleições presidenciais, surgiram vários assuntos sobre ‘separação’ do país, o que me entristeceu muito. Uma onda de preconceitos invadiu vários corações e parece até que não fazemos parte da mesma nação.

Esse clima me levou à Palavra de Deus em busca de algo que me desse força para almejar o contrário: união. E, no post de hoje, vamos falar justamente sobre unidade. O que você pensa sobre isso?

Vamos tomar como base a primeira parte de Efésios 4:

Como prisioneiro no Senhor, rogo-lhes que vivam de maneira digna da vocação que receberam. Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor. Façam todo o esforço para conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. Há um só corpo e um só Espírito, assim como a esperança para a qual vocês foram chamados é uma só; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, que é sobre todos, por meio de todos e em todos. E a cada um de nós foi concedida a graça, conforme a medida repartida por Cristo. (v. 1-7)

Vamos por partes.

Esse trecho é um dos temas centrais da carta de Paulo aos efésios. A princípio, percebemos que Paulo se coloca como ‘prisioneiro no Senhor’. Por quê? Porque ele considerava isso sua vocação, seu chamado. ‘Estar aprisionado a alguém significa fazer a vontade daquele que nos traz cativo’.[1] Logo, percebemos que estar aprisionado a Deus é se submeter à vontade dEle.

Pois bem, o que Paulo chama de ‘viver de maneira digna’? Podemos retomar a expressão ‘prisioneiro no Senhor’ e concluir que viver dessa maneira é, simplesmente, reconhecer-se dependente de Deus em toda e qualquer situação. É alinhar a própria vida à vida de Cristo.

Em seguida, Paulo chama a atenção para o fruto do Espírito (Gálatas 5:22,23). Ser humilde, dócil e paciente, na realidade, é ser parecido com Jesus. Talvez você, assim como eu, pense: ‘mas é muito difícil, tenho um temperamento muito sanguíneo’. Ok! Deus sabe que nesse aspecto somos diferentes e temos as nossas particularidades, então, o fruto do Espírito será desenvolvido em cada um de nós de acordo com isso, cabe a nós deixar que o Espírito Santo transforme nosso caráter por meio de seu fruto.

A parte que mais me desafia, porém, é quando o apóstolo diz: ‘suportando uns aos outros com amor’. Pela escolha vocabular já percebemos que Paulo sabia o que estava aconselhando e sabia que era algo tremendamente difícil: viver em unidade. Este é o ponto central desse trecho. Vejamos os vários significados que a palavra ‘suportar’ tem:

v.t. Sustentar; ter sobre si: os pilares suportam a abóbada. Aguentar, resistir a: suportar a tortura. Sofrer com paciência: suportar a dor. Permitir, tolerar: não suporta desrespeito. Estar à prova de: suporta bem o frio. Admitir, aceitar, acomodar-se a. | V.pr. Tolerar-se mutuamente.

Não há muito o que falar, né? Deus – por meio dos escritos de Paulo – nos faz um grande desafio que reforça os mandamentos de Cristo. Amar ao próximo como a si mesmo, com certeza, é suportar as particularidades do outro. Devemos, então, ‘conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz’.

Tudo isso porque:

[Deus] designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado, até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo. (11-13)

Nesse trecho reafirmamos o que já apontamos acima: nossa unidade só é completa graças as nossas diferenças e particularidades. É exatamente por isso que Deus designa cada parte do corpo para uma certa função. Com qual finalidade?

O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. Dele todo o corpo, ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas, cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte realiza a sua função. (14-16)

Ou seja, é quando estamos em unidade, seguindo a Verdade juntos, que não somos levados por ventos de doutrina ao erro, aprendemos a discernir as coisas. Somos edificados mutuamente e guiados, de fato, por Cristo. Isso traz crescimento! Porém, precisamos destacar um detalhe importante que não pode ser esquecido: na medida em que cada parte realiza a sua função.

Logo, todos os ensinamentos que retiramos desse trecho de Efésios só fazem sentido se estivermos onde Deus deseja e realizando aquilo que Ele designou para cada um de nós. Assim conseguimos viver em unidade, como um só corpo, igreja guiada por Cristo.

Isso vale para nossa casa, isto é, em família, temos que viver em unidade. Vale também para nossos ambientes de trabalho e acadêmico. JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!

Alimentar o espírito de separação exposto ultimamente é trair o espírito do evangelho.
(Ed René Kivitz)


- Tathiana Oliveira

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições