Testemunho: confiei e esperei

Testemunho: confiei e esperei

Atualizado: Quarta-feira, 1 Fevereiro de 2012 as 9:58

Hoje eu trouxe um testemunho super especial, de um leitor aqui do blog!!

Com vocês, o Rafa:

“Meu nome é Rafael Uziel da Silva, tenho 25 anos. Moro em São José dos Pinhais, Paraná.

Nasci em 21 de dezembro de 1985. Prematuro. Nos primeiros dias de vida corri grande risco e logo foi constatado que eu havia nascido com paralisia cerebral, e a consequência disso foi uma atrofia nas pernas. Então, a possibilidade de andar foi sempre muito pequena, aliás naquela época não existia tantos recursos como hoje. E muitos procuravam já confortar a minha família que meu destino seria mesmo a cadeira de rodas.

No entanto, minha mãe sempre persistiu em procurar recursos. Mesmo com grandes dificuldades: financeiras, de locomoção, etc. Foi então que meus pais localizaram um médico, este até hoje é referência na área e resolveu assumir o meu caso.

Com 3 anos e meio de idade passei pela minha primeira cirurgia, só após esta dei meus primeiros passos.

Conforme crescia os nervos não acompanhavam o meu crescimento, e era sempre necessário passar por cirurgias. Foram 12 no total. Muita fisioterapia e dor. Além do próprio fato de reaprender a andar após cada cirurgia. O pós-operatório sempre foi complicado para mim e para a família. Era um tempo bastante difícil e delicado.
Lembro quando minha mãe me pegava no colo, porque eu cansava muito fácil, e, mesmo pesado ela sempre me carregava em busca de tratamento. Ela é uma guerreira! Ela venceu!

Uma das maiores incógnitas da minha infância foi ver os meus amigos correrem, jogarem bola, fazerem educação física e eu não. Sempre tive que fazer algum trabalho teórico sobre Educação Física para ganhar nota, pois eu não podia participar das aulas práticas.

Cheguei aos meus 16 e 17 anos totalmente revoltado. Revoltado dentro do meu coração, internamente. Por certo período questionei a existência de Deus. Eu me perguntava: Porquê Deus permitiu isso? Certo dia eu dei vários socos nas minhas pernas e disse que as odiava, chorava e gritava de raiva pela situação. Foi um período muito complicado que eu estava passando muita vergonha na rua e estava caindo constantemente. E cada tombo era uma vergonha. Cada tombo era mais uma frustração.

Talvez algumas pessoas que caminham comigo hoje não saibam, mas eu cheguei a pensar na possibilidade de me jogar na frente de um carro enquanto estava voltando do colégio.

Porém, Deus não permitiu isso…

Aqui minha história começou a mudar de uma maneira extraordinária. Foi o dia que eu disse:

- Deus, muda minha história, eu te conheço de ouvir falar, desde pequeno eu ouço falar, mas por que estou sofrendo tanto? Jesus eu te dou uma chance para acreditar que isto pode mudar…

E... mudou!

Hoje continuo andando torto, ainda enfrento o preconceito e de vez em quando até tropeço e caio.  

Quando comecei a procurar emprego, muita gente me orientou a procurar algo simples e bem operacional. Entretanto, eu sempre acreditei que poderia sim estudar, concluir uma faculdade e ter uma boa carreira. Alguns até me indicaram a aposentadoria por invalidez.

Para estes, a resposta foi: formação, pós-graduação, experiência, estudos e muita vontade de aprender! Fiz minha faculdade em um local onde tive que subir várias rampas todos os dias e isso foi bem desgastante. Mas conclui!

Atualmente trabalho com o que gosto e isto tem feito a diferença na minha vida profissional.

Muita história pra contar, muitas dificuldades, mas também grandes aprendizados. Grandes batalhas e consequentemente grandes conquistas.

Encontrei muitas pessoas especiais no meio do caminho. Pessoas que me ajudaram a levantar do chão – algumas fizeram isso literalmente. Outras, foram tremendamente usadas por Deus para trazer algo ao meu coração. Pessoas que se dispuseram a me ouvir e a caminhar comigo. Isso fez a diferença!

E relacionamento? Namoro?

Eu tinha muito medo, quem de fato me aceitaria?

Quem se imaginou namorando alguém com defeito?

Já ouvi uma jovem falar para as moças da igreja: “Se você ora, busca a Deus, acha que ele vai te dar alguém que manque?”

Pois é, confiei em Deus, esperei em Deus. E Ele com a sua imensa criatividade me apresentou uma pessoa muito especial: Giana Guterres. Uma amiga me disse que eu deveria conhecer o blog dela. E aí visitei o blog da Gi, e ela visitou o meu blog. Aí tudo começou. Estamos juntos há 5 meses, pouco tempo, digamos que sim. Mas a vontade de Deus tem se cumprindo em nós a cada dia.

Hoje os textos em azul no meu blog são para ela. E eu já escrevia em azul, muito antes dela chegar. Foi tudo plantação. Hoje eu estou colhendo alguns destes frutos.

Valeu a pena esperar!

Hoje eu vivo Levítico 26.13 - “..quebrei as traves do jugo que os prendia e os fiz andar de cabeça erguida. ” (Lv 26.13-b)

Abraço!

*Conheci a história do Rafa, através da Gi, que é leitora aqui do NMM há muito tempo. Louvo a Deus por suas vidas! E muito obrigada Rafa pelo seu testemunho.
*Testemunho escrito em setembro de 2010.

veja também