Vida tranquila?

Vida tranquila?

Atualizado: Segunda-feira, 13 Maio de 2013 as 3:18

 

sossegoAssim como eu, você deve ter algo que te incomoda. No meu caso, são duas doenças degenerativas. (“Como assim? Agora você vai usar esse espaço para se lamentar?”) Não, pelo contrário. Quero fazer uma reflexão. Você já deve ter pensado e caminhado por essa estrada, com a certeza de que tudo sempre ficaria bem e nada sairia diferente de seus planos.
 
Nunca imaginei que seria acometido por algo que fosse virar uma companheira não desejável em minha vida. Nunca imaginei que um dia receberia, por telefone, a notícia do falecimento de meu pai; alguém que me ensinou e deixou um legado. Nunca me imaginei morando numa cidade sem mar.
 
Preciso olhar bem de frente e perceber que não sou diferente dos 6 bilhões 999 milhões de habitantes do planeta Terra. Todos vivendo e passando por situações que não gostariam de enfrentar. 
 
É intrigante que personagens ricos em histórias e com uma vida que para muitos causaria inveja passaram por situações inimagináveis em suas trajetórias por vezes heroicas.
 
Tem um cara de nome comum que me leva a uma profunda reflexão quanto à vida e suas facetas. Pedro era aparentemente alguém como outro qualquer. Acho que ele jamais imaginou que sua vida poderia virar o que virou. Pescador, temperamento forte, marrento e “cheio de si”, o tal “deixa comigo que eu mesmo resolvo”. De repente, um encontro e uma virada radical. Aquela vida com sal, praia e muito peixe está diante de giro de 180 graus.
 
Jesus chama um cara simples e o torna seu discípulo. Agora o pescador caminha lado a lado com o filho de Deus, mas, como todos nós, Pedro também se viu frente a frente com ele mesmo e teve que enfrentar mais uma tempestade. O discípulo que enchia a boca para bradar que nunca abandonaria seu mestre, se esconde e nega, nega e nega. É… todos nós vamos ter que enfrentar algo incômodo em nossas vidas.
 
A história poderia acabar aqui: eu com minhas doenças, você com seus problemas e Pedro traidor. Mas nós já conhecemos o verdadeiro final da trajetória de Pedro. Podemos e devemos questionar? A vida tranquila é uma mera ilusão? Estamos eu e você como dados jogados que surpreendem com uma nova sequência a cada lançamento?
 
“Chega, basta eu quero uma vida tranquila”, você diz. No entanto, o dinamismo, as surpresas e a incerteza do amanhã estão aí. Mas o Escritor habilidoso manuseia sua pena e escreve uma história segundo seus propósitos e nos recoloca, a cada novo amanhecer, no palco da vida, mesmo com nossas “enfermidades”. Pedro foi testemunha disso.
 
 
- Jeverton Ledo
 

veja também